23 de abr de 2012

Esta é, em sete anos, a primeira vez que apareço em vídeo e dedico essa postagem às tantas pessoas que usam o termo do título — dar a cara a tapa — como se “mostrar a cara” fosse garantia de idoneidade e de se estar falando a verdade: hoje temos muita gente que usa a superexposição e a popularidade para veicular as mentiras e imundícies mais ardilosas jamais divulgadas desde que o mundo existe…
São quase duas horas de vídeo (compilação do primeiro dia de palestra, na Missão Reluz) onde tento fazer a exposição clara de tudo que o Senhor Deus tem me permitido aprender ao longo dessa minha jornada de aprendizado em defesa da fé genuína e… ainda tive que suprimir muitas coisas.

1 de abr de 2012

ditadores
Tive oportunidade de analisar minuciosamente uma das mais magníficas passagens proféticas da Bíblia, a saber:
“E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores; Quando já têm rebentado, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto. Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça.” (Lucas 21:29-32)
Classifico essa passagem como magnífica pois, em primeiro lugar, é uma das que foram ditas pelo próprio Senhor Jesus Cristo e, em segundo lugar, porque nos revela uma forma de detectar se Seu retorno está próximo, na geração vigente, ou não.
Não sei em outros países, mas no Brasil (em especial no litoral) o “verão” é tido como uma boa estação, vinculado a coisas como alegria, viagens, aventuras: foi meio estranho, até para mim que amo o outono e o inverno, compreender o vínculo entre a chegada do reino de Deus — a saber, o “fim do mundo” como o conhecemos — e a estação quente, quando o mais natural seria pensar em “fim” como “noite” ou “inverno”…
Porém é tudo tão milimetricamente perfeito que até a referência ao “verão” vai encontrar razão de ser, talvez até redundante, se formos olhar os fatos mundiais correntes, pois, como foi ordenado, devemos olhar a figueira E (ou seja, além dela) todas as outras árvores!!
Sabendo que a figueira é, biblicamente, a ilustração para Israel, vamos começar falando da recente “primavera árabe”, que sacudiu com violência muitas das árvores ao redor do quintal onde a figueira está plantada.