31 de jan de 2012

escolha
4 — CONCLUSÕES
A maioria dos temas que relacionei neste texto, inclusive no capítulo anterior, JÁ FORAM EXPOSTOS e, para comprovar, fiz questão de indicar os links onde são abordados ainda mais especificamente, ou seja: não temos novidade alguma, mas ainda assim fiz tudo isso com dois objetivos:
  1. Provar que as pessoas de hoje são tão preguiçosas, principalmente os intelectualmente possessos, que não têm a capacidade de sequer realizar uma pesquisa no Google!!
  2. Ter um texto e um link para indicar a cada vez que me deparar com as perguntas e afirmações aqui demonstradas, de modo que o possesso intelectual ou emocionalmente possa ter uma chance de reconhecer seu comportamento e, quiçá, se arrepender.
Admito que acho muito improvável tal arrependimento, por conta do orgulho, do incômodo de renegar algo que lhe seja prático ou agradável…mas quem convence o pecador do pecado, da justiça e do juízo NÃO SOU EU e nem meus textos, mas apenas o Espírito Santo e somente através da exposição da genuína Palavra de Deus!
Ao chamar de “ação do Espírito Santo” as ações satânicas aqui relacionadas, os “evangélicos crentes gospel” acabam correndo grande risco, pois já estava escrito:
“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” (Isaías 5:20)

18 de jan de 2012

verdadeirabatalha
Ressaltando que as principais características da “possessão emocional” foram analisadas anteriormente, passaremos a destacar agora alguns sinais típicos — e fáceis de encontrar naqueles que ou estão em franca rebeldia ou NÃO TÊM O ESPÍRITO SANTO habitando em si — revelados através de manifestações (incrível e exaustivamente repetidas) tanto na vida real quanto nas redes sociais.
2.2.1 — SÓ MALUCO NÃO PODE SER CONTRARIADO
Esse é um trabalho de esclarecimento antigo que já rendeu alguns artigos no decorrer dos anos — dos quais, fora o já citado “nugget espiritual”, destaco abril e maio de 2009 — e continua como se nunca nada houvesse sido registrado…
Ao menos se destacaram os dois mais comuns perfis das pessoas capazes de incorrer nesta prática:
  1. Aqueles que vivem de “clichês bíblicos” e não conhecem o suficiente da Palavra de Deus para poder sustentar sua fé;
  2. Aqueles que até conhecem a Palavra de Deus… mas deixaram de crer tanto nela quanto em Deus, passando a lucrar com a ignorância daqueles sobre quem exerce domínio.
Ambos os grupos demonstram completa aversão à palavra “EXORTAÇÃO”, como se o ato de exortar fosse antônimo superlativo da palavra “AMOR” e comparável às torturas da inquisição…

15 de jan de 2012

Minha colaboração anterior neste blog foi sobre as adivinhações “de ano novo” e creio ser uma premissa interessante para discutirmos a diferença entre essas “adivinhações” e as verdadeiras profecias, aquelas sobre as quais temos certeza.
Sim, porque a Bíblia, única fonte confiável de informações sobre o futuro, contém mais de 6000 referências proféticas, muitas das quais cumpridas cabalmente, nos mínimos detalhes!
Por exemplo: o nascimento, a vida a morte de Jesus; o zênite e a queda de Israel, e seu posterior ajuntamento na terra prometida, milhares de anos depois… e muitas outras. Por isso podemos ter absoluta confiança nela.
Mas quem confia em adivinhações… está perdido, como é o caso dos falsos profetas que denunciamos na postagem anteriormente.
Assim como as adivinhações de videntes, astrólogos e cartomantes, dizemos o mesmo dos que tentam prever o futuro e dar suas profetadas: a cada ano se repete o fiasco da falha do seu cumprimento!
Este artigo, compilado e editado a partir da revista Chamada da Meia Noite, esclarecerá ainda mais este assunto.

9 de jan de 2012

possessoes01
   O termo “possessão” é, sem dúvida alguma, dramático.
   A maior parte da humanidade imagina, ao mencioná-lo, pessoas de olhos virados, com vozes estranhas e apresentando toda uma variedade de outras possíveis características anormais… porém nem sempre é dessa forma!
   Ao contrário da ação do Espírito Santo, que existe (ou não), a partir do momento que o indivíduo se converte (ou não) e está completamente sujeita ao controle consciente do cristão; a possessão pode ser detectada em diferentes tipos de comportamento de qualquer um — com boas ou más intenções — que não tenha passado por uma experiência legítima de conversão ao cristianismo.
   Outra prerrogativa para se prosseguir é saber que TODA POSSESSÃO É MALIGNA, ou seja, não existe a mínima possibilidade de que tal processo seja operado por Deus ou por qualquer ser (anjos?) a Ele subordinado.

5 de jan de 2012

newyear
   Acordou desanimado naquele primeiro dia do ano.
   Dormira mal por estar fora de casa e o mundo inteiro parecia estar de ressaca por conta dos excessos enquanto ele, incomodamente desperto e consciente, ouvia vir da rua os últimos sons das festas que teimavam em perdurar até aquela hora… talvez esperando para ver os primeiros raios de um sol que, ao menos naquele dia chuvoso, não iria surgir.
   Mesmo com os céus se desfazendo em água, o calor ainda era incômodo o suficiente para que o suor de seu corpo deixasse os lençóis úmidos, dificultando ainda mais que reconciliasse ao sono.
   Cansou de se revirar e, para não acordar a esposa com sua agonia, levantou e foi para a sala: considerou que assistir TV poderia distraí-lo…
   Ligou o aparelho e, num ato mecânico, sintonizou o canal de notícias: as imagens do réveillon se sucediam, apresentando os mais diversos lugares ao redor do globo, fogos de artifício — em pleno século 21 o ser humano, tão “evoluído”, ainda precisa se utilizar dos métodos primitivos de barulhos e luzes para “espantar os maus espíritos”? — venenosos e sempre matando ou ferindo alguém (até os inocentes), os mesmos repetitivos e vazios votos de “feliz ano novo”1