29 de dez de 2011

batalhaespiritualgladius
Continuação da postagem anterior.
3 — O MÉTODO BÍBLICO DE BATALHA ESPIRITUAL
Como se deve guerrear contra o inimigo?
Quais são as armas disponíveis?
As Escrituras nos dão o método de combate que deve ser seguido se quisermos ter, realmente, vitória contra as força demoníacas.
A seguir veremos as armas de ataque que estão à nossa disposição.
3.1 — AS ARMAS DE ATAQUE
3.1.1 — A Pregação do Evangelho
Eis uma arma eficaz contra o inimigo: a pregação da verdade!
“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação? De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10:13-17)
Diante desta maravilhosa declaração do apóstolo Paulo, pode-se chegar à conclusão que a pregação do Evangelho é poderosa, por si só, para salvar o perdido. A fé vem pela pregação da Palavra de Deus e não através de “orações de guerra”.

20 de dez de 2011

slaved-america-6_thumb27_thumb2
Esta postagem é uma continuação.
2.3.3 — Quebra de Maldição
Um outro método de batalha espiritual amplamente ensinado é o de quebra de maldição.
Aqui no Brasil os mestres desta doutrina são: Robson Rodovalho, Neuza Itioka, Jorge Linhares, Missão Evangélica Shekinah, entre outros.
De acordo com os mestres da doutrina de maldição hereditária, “maldição” são sofrimentos — mortes prematuras na família, contínuo dividendo financeiro, abortos constantes, separações conjugais, etc. — que afligem as pessoas (ou lugares), ocasionados por “pragas” lançadas por meio de palavras, ou pecados cometidos pelas pessoas (ou lugares).
Estas aflições repetem-se ao longo da descendência do indivíduo (ou lugar) pela gerência de espíritos maus. Assim, no futuro, será praticado o mesmo pecado que foi praticado no passado e haverão os mesmos sofrimentos que houveram no passado.

19 de dez de 2011

estatuetatrofeupromessas
“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oseias 4:6)
Há alguns que se iludem confiando em suas próprias forças, vozes, harmonias, melodias, danças… em suas próprias emoções e, pior ainda, em sua própria “sabedoria”.
Esta postagem é a sequência natural de “criminosos” e, antes de escrevê-la, tive de ficar uma semana “digerindo” tudo que testemunhei enquanto estive presente, em ato de protesto, naquele que foi — conforme alguns alardeiam com orgulho — o primeiro evento gospel promovido e patrocinado pela “potência” rede globo de televisão: o grotesco “troféu promessas”.
O que passo a narrar agora é a descrição dos fatos que culminaram em um dos momentos mais terríveis que já tive a oportunidade de testemunhar em toda a minha vida… e o mais curioso é que só fui me dar conta da plenitude de toda a malignidade que testemunhei algumas horas após, pois até então não tinha conhecimento suficiente para discernir.

18 de dez de 2011

previsoes
Todo fim de ano é a mesma coisa: aparecem — nas emissoras de TV, nos jornais e nas revistas — montes de adivinhos (cada qual mais comédia que o outro) dando seus palpites sobre o ano novo.
É um tal de “pai” Ziriguidum do Baobá, “mãe” Fulaninha de Fubá, Zezinho do Urubum e Serafim do Balacobaco, que dá dor de cabeça na gente só de olhar a cara deles (nota: a maioria parece travestis mal arrumados, como se o capeta que eles invocam viesse maquiá-los depois de tomar toda a cachaça que achou no despacho, aquela mais barata que tinha no boteco da esquina)!
Dizem que têm “corpo fechado” contra o mau-olhado, mas contra o mau gosto não tem espelho que resista: o figurino — turbante, colares com pérolas de plástico e pulseiras com ferraduras, figas, trevos e outros balangandãs de quinta categoria — é um show de horrores à parte.
E dessa forma, incapazes de ver sua própria ridicularidade, ainda se afirmam capazes de ver o futuro… e ganham a vida iludindo otários mundo afora!

15 de dez de 2011

brecha
Continuação da postagem anterior...
2.2.5 — “Brechas”
Este é um outro ensino amplamente divulgado pelo MBE e, de acordo com os pregadores do movimento, “brechas” são pecados que cometemos que, invariavelmente, dão toda a autoridade legal para o diabo agir contra nós.
Robson Rodovalho, em seu livro “Por trás das Bênçãos e maldições”, fala-nos sobre isso:
“Quando uma pessoa pratica o pecado, ela abre brecha em sua vida.
A proteção espiritual está sendo levantada, e a partir daí as maldições poderão tocá-la.
Por exemplo: nós encontramos Satanás dizendo a Deus que não poderia tocar a vida de Jó, pois ele estava protegido por esta sebe… Sempre que uma pessoa peca inconscientemente ou voluntariamente, ela abre uma brecha nesta cerca.
Consequentemente, os espíritos maus começam a ter acesso à vida e ao coração dela. Os espíritos malignos entram aonde foi feita a brecha. Somente o perdão de Deus poderá repará-la.”
(Robson Rodovalho — POR TRÁS DAS BÊNÇÃOS E MALDIÇÕES, pág. 29)
Ainda sobre isso Neuza Itioka comenta:
“Tanto Thomas White como Robert Linthicum confirmam através dos seus escritos que corporativos de uma comunidade cristã local podem se transformar numa abertura para a invasão de principados e potestades que, por sua vez, vão se fortalecer com os mesmos pecados, para se Ter todos os direitos legais para oprimir e definhar a igreja.”
(Neuza Itioka — A IGREJA E A BATALHA ESPIRITUAL, pág. 67)
Dentro do pensamento do MBE, a frequência de um determinado pecado na vida do crente, do incrédulo, de uma comunidade, cidade, nação, concede ao diabo legalidade para intentar contra aquele que comete o pecado.

13 de dez de 2011

BATALHA258
   Há alguns anos, vivia-se a era da incredulidade, mas agora o “Movimento de Batalha Espiritual” contra os demônios está em moda!
   O precursor deste “mundo incrédulo” foi o marxismo, que influenciou todas as áreas da sociedade e, por incrível que pareça, também a religião: naquela época, tudo o que concernia ao metafísico, ao transcendente, ao espiritual… era rechaçado — o “bonito” era ser cético quanto ao mundo religioso!
   Aliás, esta era a “religião” da maioria…
   No entanto, em nossos dias, com a virada do milênio, percebe-se uma volta à espiritualização, muito semelhante à era medieval: é tão notória esta mudança de cosmovisão que é possível ver-se cientistas — outrora, a categoria que levava a bandeira do ceticismo — com seus amuletos da sorte, pirâmides na cintura ou em baixo da cama para atrair “bons fluídos”, etc. (Pasmem: lemos no livro de um dos profetas mórmons que a melhor maneira de expulsar demônios é dormir com uma metralhadora debaixo do travesseiro e um grande facão debaixo da cama!)
   Como foi no período do ceticismo, esta nova filosofia de vida, também têm influenciado a muitas áreas da sociedade, inclusive à religião. E nesta categoria, encontram-se os evangélicos.
   No mundo evangélico, nunca se viu tamanha profusão de novas doutrinas como se tem visto em nossos dias: encontra-se, entre as novas doutrinas, o “Movimento de Batalha Espiritual” (doravante apenas MBE), que oferece uma nova cosmovisão sobre a esfera espiritual, especialmente sobre os demônios e como enfrentar este mundo de espíritos.
  Cremos que o MBE é uma antítese da cosmovisão, principalmente norte americana, de que o diabo não existe; porém, como antítese, tem-se exacerbado em várias áreas, em seu afã por demônios, e, por isso, deixado a desejar em muitas doutrinas bíblicas.
   De início, estaremos mostrando, biblicamente, a realidade da guerra espiritual; em seguida, mostraremos as origens do Movimento de Batalha Espiritual e seus ensinos, confrontando-os com as Escrituras.
   Em seguida, veremos a proposta das Escrituras sobre a guerra espiritual, e, por fim, veremos os prós e os contras do Movimento em questão.
   Nossa proposta é analisar doutrinariamente o MBE e não “tacar pedra” em quem está trabalhando (como muitos possam vir a querer acusar): nosso propósito é agir como legítimos “bereanos”, ou seja, analisar até que ponto o que está sendo pregado nos púlpitos do MBE está de acordo com a sã doutrina.

11 de dez de 2011

   O filme “300” — produção de 2007 baseada numa HQ de Frank Miller (um dos responsáveis pela “ressurreição” do Batman) — foi dirigido por Zack Snyder e teve como principais atores Gerard Butler (como o rei Leônidas), Lena Headey (que também fez a mãe de John Connor na série “Sarah Connor Chronicles” — como a rainha espartana) e o brasileiro Rodrigo Santoro (como o rei persa, Xerxes).
   De estilo inovador e pesadamente inspirado nos quadrinhos de Miller, apresenta cenas violentas usando de extrema plasticidade gráfica, revelando a epopeia dos soldados de Esparta contra a invasão persa, ocorrida em 481 a.C: trata-se de um marco histórico, quando os gregos deixaram de ser uma confederação de cidades inimigas e formaram um grande império, como profetizado por Daniel um século antes (leia os capítulos 7 e 8 do livro de Daniel…).
   Mas a Bíblia fala de outros 300 homens, igualmente decisivos, que viveram 700 anos antes destes heróis espartanos, quando a nação de Israel era governada pelos Juízes: época de adaptação à terra de Canaã — um período em que as pessoas resolveram que era melhor fazer o que lhes dava na cabeça:

4 de dez de 2011

uncaodocapeta 
O fim do ano se aproxima e o que sinto é a terrível sensação de que ficar me repetindo (e ouvindo coisas repetidas) é algo de que nunca vou conseguir me livrar!
O pior é de tudo é que muitas pessoas que requisitam informações sobre determinado assunto, ao invés de ler os links que indico, têm a cara de pau de se assumirem como preguiçosas e pedem para que eu “resuma” o conteúdo, ou seja, praticamente redigite tudo naquele espaço ínfimo que é um bate-papo do facebook ou do MSN!!!
Fica aqui o primeiro registro dessa postagem: por mais próximo que seja seu acesso à minha pessoa e por mais íntimos que possamos ser… NÃO TENHO MENSAGEM DIFERENCIADA E NEM REVELAÇÃO PARTICULAR para dar a ninguém! O que prego é a Palavra de Deus e nela está escrito:
“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” (2 Pedro 1:20-21)
Ou seja, em relação à Palavra de Deus: PEGOU UM, PEGOU GERAL!
Pegou em você? Paciência: atirei sem ter mirado em ninguém…
Quem quiser continuar lendo, vai acompanhar mais uma tentativa de encerrar a necessidade de me repetir em temas como “ventinho do cai cai”, “unção” e “filhos do demônio”… argumente se tiver base bíblica, mas não reclame se doer!

3 de dez de 2011

   Tive a honra, como defensor do evangelho genuíno e mesmo não sendo da AD, de haver sido escolhido, em maio de 2009, para divulgar informações bastante reveladoras acerca da apostasia que vem consumindo as Assembleias de Deus.
   Assistam ao vídeo e, se quiserem, saibam minhas considerações na continuação da postagem: