28 de jun de 2011

   Embora os conhecidos Mórmons sejam um povo aparentemente simpático e tenham um programa de beneficência social igual aos melhores do mundo, o mormonismo é uma das seitas mais perigosas de que se tem conhecimento: são verdadeiros lobos vestidos de cordeiros!
   Os missionários dos Mórmons (élderes) são bem treinados em seus métodos: quem é crente só de nome se torna presa fácil para seus argumentos.
   Entretanto, qualquer pessoa que realmente tiver nascido de novo não cairá em suas armadilhas doutrinárias, pois sua regra de fé e prática será sempre a Bíblia Sagrada.

26 de jun de 2011

   Cientistas viajando a bordo de um navio russo descobriram no Ártico a primeira evidência de que podem estar sendo liberadas na atmosfera milhões de toneladas de metano, um gás do efeito estufa, vinte vezes mais potente do que o dióxido de carbono.
   Dados preliminares da expedição, liderada pelo pesquisador Örjan Gustafsson, da Universidade de Estocolmo, sugerem que grandes depósitos de metano armazenados nas profundezas estão, literalmente, borbulhando na superfície do Oceano Ártico, à medida em que a região se torna mais quente e a sua cobertura de gelo se retrai.
   Os depósitos de metano são importantes porque cientistas acreditam que, no passado, uma liberação semelhante teria sido responsável por uma elevação rápida das temperaturas, gerando mudanças climáticas abruptas que causaram, por sua vez, extinções em massa de plantas e animais.

21 de jun de 2011

   Certo dia, apareceu na Coréia do Norte, um homem dizendo-se apto a trazer novas esperanças e uma nova era.
   Seu nome: Sun Myung Moon.
   “Evangelista” milionário, industrial e fundador da Igreja da Unificação. Nascido em 1920, de pais presbiterianos, Moon começou pregando coisas extraordinárias quando tinha apenas 12 anos.
   Ele afirma que em 1936 estava orando em um monte quando Jesus Cristo apareceu-lhe e disse que ele havia sido selecionado para uma grande e importante missão: Moon diz que foi chamado para assumir a tarefa de completar o cristianismo inacabado e que, durante nove anos que se seguiram à revelação, uma série de princípios lhe foi revelada, o que resultou em sua capacidade de entender claramente a natureza do universo, o significado real da história e a interpretação real das parábolas e símbolos bíblicos.

14 de jun de 2011

   Sou um relapso procrastinador e tenho algo tão importante para escrever… que estou com medo!
   Pelos mais diversos motivos sinto que chegou a hora de transformar as coisas que vi e vivi em livro, mas estou sem noção de como fazer isso: estilo documentário ou ficção? Material multimídia adicional em um DVD? Preparar palestras, mesmo sabendo que deverão ocorrer em hotéis (já que, por buscar a pureza bíblica, acabo me afastando das denominações e, consequentemente, dos templos…)?
   Além das atribulações cotidianas, tudo isso tem me desconcentrado e afastado de escrever. Eis o motivo de minha ausência!
   Porém não é pelo ausência de novas publicações que o trabalho em defesa da fé genuína vai ficar parado: esses dias recebi duas interessantes mensagens – uma de um “após tolo” e outra de um jovem – que decidi apresentá-las a meus leitores, de modo que estes possam constatar por si próprios o estado de confusão em que a estrutura eclesiástica moderna se encontra, assim como se surpreender com… não vou antecipar.
   Acompanhem as conversas e descubram!

7 de jun de 2011

jovens 3
   Em plena época do movimento hippie nos Estados Unidos (que chegou a influenciar a juventude mundial), quando o desabafo dos jovens contra a sociedade organizada se misturou com a leviandade que levou milhares de adolescentes a abandonarem seus lares e passarem a viver como nômades e peregrinos, surgiu a seita “Os Meninos de Deus”, hoje chamada “A Família de Deus”.
   Algumas ideologias se tornaram moda nessa época: a vida em grupo e sem luxo, a prática do sexo sem regras etc.
   Neste ambiente muito favorável, aparece o fundador da “Família do Amor”, conhecida até fevereiro de 1978 como “Meninos de Deus”.
   Esta nova seita foi uma tentativa de adaptar um sistema religioso ao modo de vida de hippies e viciados, quando o ideal teria sido o inverso; daí, o abandono da família, a libertinagem e o sexo, bem como os vícios, fazerem parte do “modus vivendi” dos adeptos da nova religião.

5 de jun de 2011


   Dos vários portais de notícias disponíveis atualmente na Internet, prefiro aqueles que permitem comentários dos leitores: esta semana estava lendo sobre a tentativa de Barack Obama para impor mais uma de suas vontades ao povo do Oriente Médio, em especial israelenses e “palestinos”, quando me deparei com alguns comentários, no mínimo, falaciosos.
   Notem que coloco “palestinos” entre aspas por duas razões:
   Primeira: que israelenses também são “palestinos”, pois moram na “Palestina”;
   Segunda: que nunca existiu um povo, uma civilização “palestina”, na acepção moderna da palavra.
   O motivo principal é que o primeiro-ministro israelense, Netanyahu, obviamente, rejeitou a proposta, que obrigaria Israel a recuar para as fronteiras de antes da Guerra dos Seis Dias: isto seria como se os Estados Unidos tivessem que devolver a Califórnia e o Texas ao México, por exemplo.