31 de mar de 2011

retrovisor
   Quando publiquei meu primeiro texto como Teóphilo, em 19 de janeiro de 2005, tinha uma esperança completamente diferente da certeza que tenho agora.
   Fiquei assustado quando me dei conta que já se passaram seis anos nesse “ministério” totalmente inesperado e, porque não dizer, indesejado: na época em que comecei a registrar fatos para transformá-los em denúncias, minha visão era bem pequenininha.
   Achava que o mundo cristão ainda se situava em Filadélfia, de modo que as discrepâncias por mim apontadas seriam facilmente identificadas e sanadas… posso dizer que eu vivia no mundo perfeito que só existe para os alienados “crentes de banco”, tão ou mais perdidos que os pecadores que tanto criticam.
   A base de tudo pelo menos nunca mudou: a Bíblia!
   O problema é que ao invés de apagar os pequenos incêndios que ia descobrindo e apontando, sucediam-se descobertas cada vez maiores, mais abrangentes, mais escandalosas e envolvendo pessoas cada vez mais “intocáveis”… o mundo evangélico “gospel” do qual fui participante passivo por 30 anos estava começando a desmoronar.

29 de mar de 2011

   O bahaísmo é uma religião de origem pérsico-maometana, fundada em Acre, na Palestina, por um nobre persa exilado conhecido pelo nome de Bahá-Allah (“Glória de Deus”), nascido em 1817.
   Crenças do Bahaísmo
   O bahaísmo crê que o “último e verdadeiro sucessor de Maomé, que desapareceu no século X, nunca morreu, mas continua vivo numa misteriosa cidade, rodeado por um grupo de fiéis discípulos e que, no final dos tempos, aparecerá e encherá a terra de justiça, depois de ter sido cheio de iniquidade”.
   Esse sucessor oculto revela-se de tempos em tempos através daqueles a quem esclarece sua vontade e que são conhecidos como “Babs” ou “portas”, isto é, são portas através das quais se renova a comunicação entre o escondido e os seus fiéis seguidores.
   Segundo o opúsculo “O Que Significa Ser Bahai”, publicado e distribuído pela Assembleia Espiritual Nacional dos Bahais do Brasil, o bahaísmo crê que:

26 de mar de 2011

incasven
… que os novos “amigos” que estão sendo inventados!
Vocês logo vão entender o motivo.
Nunca fui em nada diferente de ninguém: quando era criança também assistia Ultraman, Super-homem… não chego a lembrar do National Kid, mas escolhi justamente os incas venusianos, seus arquirrivais, para ilustração inicial desta postagem.
Fiz isso porque uma das histórias mais “sorvete na testa” de minha família é relacionada a eles e a um de meus primos que, em um daqueles momentos inclassificáveis da infância, se julgou o próprio National Kid, amarrou uma toalha nas costas e se lançou da janela para o quintal.
Fraturou a clavícula.
Eu, por minha vez, era fã incondicional do super-homem e vim a nascer um pouco depois desse episódio, o que me rendeu também uma experiência inesquecível.

25 de mar de 2011

   O Vodu, como religião, foi oficializada pelo governo do Haiti e é praticada nacionalmente. Seus rituais lembram a umbanda e o candomblé brasileiros.
   Em meio à situação de catástrofe humanitária vivida pelos haitianos após o terremoto que devastou o país há pouco tempo atrás, o cônsul do Haiti em São Paulo foi pego numa declaração dizendo que toda aquela tragédia era culpa de uma “maldição” feita “pelos africanos que moram lá”.
   Tentando associar a “maldição” à “macumba”, George Samuel Antoine quis dizer basicamente que o terremoto foi culpa do vodu - religião amplamente praticada pelos cidadãos do país.
   No dia seguinte, o cônsul pediu desculpas pelos comentários e ainda disse que a “desgraça de lá” estava sendo “boa pra gente aqui”…
   Mas o “flagra”, segundo analistas entrevistados pela rede Globo de TV, mostra um preconceito que há muitos anos domina a elite ocidental de maneira geral: a visão de que o vodu é uma crença primitiva e de que seria responsável pelo atraso social e até econômico do Haiti.

24 de mar de 2011

jl_imagine
   Voltei a escutar rádio.
   Depois de muito tempo sem ouvir rádios, encontrei algumas on-line e pude até selecionar o estilo musical preferido a ser encontrado nas estações e, não se assustem, nada desse lixo gospel atual figura entre meus favoritos.
   A música “gospel” deveria ser sacra, ou seja, sagrada: algo que promova respeitosa reverência ao Senhor Deus, cujas letras estivessem de acordo com a Bíblia… músicas de conteúdo totalmente distinto das seculares e ainda mais das profanas.
   E aí me deparo com uma cantora famosa confundindo intercessão com oração e, para piorar, ordenando ao Espírito Santo que ore por ela… isso sem fazer muita força! Se for prestar atenção, é daí para pior!
   A questão é que decidi ouvir rádios seculares mesmo, mas sempre com o “desconfiômetro” bem ligado, pois se as cristãs já não sabem o que é sagrado, nestas é comum a mistura entre o secular e o profano de maneira indistinta.
   Então, numa madrugada em que o sono me fugia dadas as gravíssimas preocupações financeiras que se apresentam, começou a tocar a famosíssima canção de John Lennon, Imagine… pela primeira vez na vida prestei atenção a toda a malignidade diabólica que se revela escancaradamente nessa letra sórdida, emoldurada por uma belíssima melodia que fica na cabeça de qualquer um que possa tê-la ouvido.
   Não sei se alguém já fez uma análise detalhada desse hino à Nova Ordem Mundial, mas pesquisei e não encontrei nada específico. Só por isso decidi apresentar esta análise sobre o que o famosíssimo servo de satanás John Lennon já pregava desde 1971.

23 de mar de 2011

   Joyce é uma líder da Teologia da Fé/Prosperidade que, como a maioria dos seus mestres, tem transformado o sangue de Cristo em um líquido viscoso e dourado e este, por sua vez, é cunhado em barras de ouro para enriquecer os pregadores e embalar em sonhos dourados os que acreditam nessa teologia.
   Infelizmente… NEM TUDO QUE RELUZ É OURO!
   Conforme o provérbio popular, os ensinos de Joyce Meyer contêm algumas heresias embutidas e disso vamos dar alguns exemplos antes de delinear a vida faustosa que essa “mulher de Deus” tem usufruído graças aos ensinos que agradam os ouvintes e lhe rendem altos dividendos.
   Joyce Meyer, como Copeland e Hagin, não crê que Jesus tenha efetuado a completa reparação dos nossos pecados na cruz, conforme a Bíblia ensina. Ela acredita e ensina que Jesus precisou ir ao inferno e ser ali atormentado durante três dias, a fim de completar a reparação dos pecados da humanidade:

18 de mar de 2011

   É interessante observar que toda nova doutrina se desenvolve em um ambiente de pessoas que são supostamente iluminadas com novas revelações, desfazendo completamente a base doutrinária existente. Esta é praticamente a característica de todas as seitas que no decorrer dos anos vão se avolumando e se reorganizando.
   No comando das seitas está o espírito do erro e do engano. É o que podemos verificar sobre os Unitaristas.
   O Desenvolvimento da doutrina:
   No terceiro século de nossa era surgiu uma doutrina nova com respeito à natureza de Deus: Sabélio, Presbítero da igreja cristã no norte da África, começou a negar a existência da Trindade.
   Dizia que Jesus era o Jeová do Antigo Testamento e a Única Pessoa da Divindade. Os termos “Pai” e “Espírito Santo” somente se referiam a certos aspectos do caráter de Jesus e não a outras Pessoas. De maneira que “Pai”, “Filho” e “Espírito Santo” eram somente três nomes para o mesmo Ser divino.

16 de mar de 2011

   A Bíblia Sagrada é auto-explicativa; aliás a regra fundamental da Hermenêutica (interpretação) é que ela seja seu próprio intérprete; entretanto, para compreendermos certas coisas ou fortalecer nossa fé em Jesus Cristo através dos seus ensinos, necessitamos recorrer a Historia extra-bíblica, por exemplo: Nos primeiros séculos da nossa era, havia uma única comunidade cristã. Ora, Jesus havia dito:
   “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, estarei no meio deles (…) Eis que estarei convosco, todos os dias até a consumação dos séculos.” (Mateus 18:20; 28:20b)
   Origem do papado e do Vaticano
   O cristianismo teve continuidade com bispos, pastores, presbíteros e evangelistas como Lino (que viveu no ano 65); Cleto (em 69); Clemente (95); Justino (no ano 100); Ignácio (110); Papias (ano 140); Policarpo (155); Irineu (por volta do ano 180); Cipriano, bispo de Cartago (ano 247); João Crisóstomo, famoso cristão (350); e outros.
   Entre eles não havia maior ou menor, embora Tertuliano, advogado cristão, tenha acusado o bispo Calixto de “querer ser o bispo dos bispos” (ano 208).

14 de mar de 2011

fogoestranho
Em tempos de aberrações teológicas, apologistas e líderes evangélicos demonstram perplexidade diante de desvios doutrinários
O crente brasileiro sabe: vez por outra, a Igreja Evangélica brasileira é agitada por uma novidade: pode ser a chegada de um novo movimento teológico, de uma doutrina inusitada ou mesmo de uma prática heterodoxa, daquelas que causam entusiasmo em uns e estranheza em outros.
Quem frequentava igrejas nos anos 1980 há de se lembrar do suposto milagre dos dentes de ouro, por exemplo. Na época, milhares de crentes começaram a testemunhar que, durante as orações, obturações douradas apareciam sobrenaturalmente em suas bocas, numa espécie de odontologia divina.
Muito se disse e se fez em nome dessa alegada ação sobrenatural de Deus, que atraiu muita gente aos cultos.
Embora contestados por dentistas e nunca satisfatoriamente explicados (segundo especialistas, o amarelecimento natural de obturações ao longo do tempo poderia explicar o fenômeno, e houve quem dissesse que a bênção nada mais era que o efeito de sugestão), os dentes de ouro marcaram época e ainda aparecem em bocas por aí, numa ou noutra congregação.

13 de mar de 2011

   Domingo é dia de igreja e futebol.
   Das empresas eclesiásticas já estou cansado de expor e denunciar, então… vamos falar sobre futebol?
   Quando eu era bem criança cheguei a torcer por um time de futebol… era o “time da família”: todos se alegravam quando ele ganhava, meu irmão mais velho me arremessava nas alturas em comemoração… era um sentimento de felicidade e união indescritível!
   O interessante é que, paradoxalmente, eu nunca gostei de futebol: odiava quando minha mãe me dava uma bola e me obrigava a ir para o campo!
   Sempre fui perna de pau e, por mais que me esforçasse, nunca achei a menor graça em ficar correndo de um lado para o outro atrás de uma bola. Com o tempo arrumei um jeito de colocar umas revistinhas por dentro da camisa e quando era enviado para a tortura do campo, levava a bola debaixo do braço até determinado ponto e a entregava para que os outros meninos fizessem a festa… e ao recordar destes momentos de minha tenra infância acabo me impressionando como meu negócio sempre foi a leitura.

11 de mar de 2011


   O homem veio do macaco.
   Não é o que nós cristãos pensamos, mas É que o que muitas vezes somos obrigados a ler ou ouvir desde criança: livros, revistas e documentários “científicos” apresentam o ser humano dessa forma igualada ao resto dos animais.
   Apresentam com tanta naturalidade e segurança que não sentem nenhuma necessidade de explicar por que motivo temos de ser vistos dessa maneira, tão longe da posição de dignidade e respeito que Deus nos deu na Criação, que nos diz que fomos feitos à sua imagem e semelhança.
   É como se as ideias de Darwin a respeito da origem do homem fossem verdades irrefutáveis.
   É verdade: todos somos criaturas, todos fomos criados, mas… será que estamos todos no mesmo nível?

9 de mar de 2011

   Muitos já sabem que está em pleno andamento um movimento satânico elaborado genialmente pelas forças do mal, que surge com todo o poder de convencimento, com formas atraentes, no meio da humanidade.
   Humanidade esta, que anseia e aceita todo o tipo de “novidade” que aparece, sem cogitar em seu coração as consequências desastrosas que podem advir, deixando-se envolver pelos tentáculos das trevas abissais.
   O homem sem Deus não sabe o perigo que representa este movimento, disfarçado com novas roupagens e novos rótulos, que penetra em todos os lares através da mídia televisiva com face “angelical”, denominado “nova ordem mundial” ou, mais precisamente, “Nova Era”.

7 de mar de 2011


   Alguns anos atrás, um importante “profeta” do Movimento Carismático predisse que uma “verdadeira revolução na terra” iria mudar radicalmente o curso e até mesmo a definição de Cristianismo: Rick Joyner falou do “desmantelamento de organizações e da dispersão de algumas obras, como sendo uma experiência positiva e reconstituinte para os fiéis servos do Senhor”.
   Esses revolucionários disseram que essa obra “seria uma grande companhia de profetas, mestres, pastores e apóstolos... levantada com o espírito de Finéias”.
   O Livro de Números, cap. 25, registra a narrativa de Finéias (filho de Eleazar), o qual comandou o assassinato dos israelitas desobedientes para afastar a ira divina sobre Israel.
   Conforme Joyner, o mesmo “espírito de Finéias” vai caracterizar uma grande companhia também chamada “Exército de Joel”, a qual vai redefinir o Cristianismo.

4 de mar de 2011


   Rick Warren adotou um conceito humano típico do crescimento da igreja e do crescimento espiritual, visto que as normas que escolheu na determinação do êxito mostram uma base doutrinal muito pobre.
   O seu evangelho não-ofensivo foi defendido de uma maneira tão vaga que, do ponto de vista humano, é aceitável virtualmente por toda a gente. As pessoas não são ofendidas por ele, porque o pecado e as terríveis consequências da ira de Deus sobre os pecadores, não são mencionados.
   O significado completo da morte de Jesus na cruz, onde Ele verteu o Seu sangue e deu a vida para servir a pena de morte de Deus sobre os pecadores, (Romanos 6:23) não é explicitamente proclamado.
   Dave Hunt comenta com muito acerto: “Falta ali por completo algo com que convencer o pecador da sua rebelião contra Deus e do próximo julgamento… Falta ali por completo a explicação do preço que Cristo pagou na cruz pelo pecado”. Embora se mencione a cruz, não são explicadas todas as implicações da morte substitutiva de Cristo.

2 de mar de 2011


   Numa noite de orgia idólatra promovida pelo monarca Belsazar, a grande potência babilônica chegou ao seu fim. Tétricos dedos a escrever ameaçadoras palavras na caiadura da parede interromperam o festim de luxo e de luxúria. E…
   “Naquela mesma noite Belsazar, o rei dos caldeus, foi morto.” (Daniel 5:30)
   Invadida Babilônia pelo poderio medo-persa, ascendeu ao trono caldaico o rei Dario.
   Entrementes o sumo pontífice, seguido de sacerdotes e levando imagens e vasos sagrados do culto ocultista, fugiu para a cidade de Pérgamo, na Ásia Menor. Transformara-se esta cidade, por isso, em “trono de Satanás”, porque tornou-se “onde Satanás habita” (Apocalipse 2:13).
   Dessa localidade da Ásia Menor, os sacerdotes da religião dos mistérios e da magia, sempre carregando sua bagagem religiosa, atravessaram o mar e se fixaram na Península Itálica, cognominada de “A TERRA SATURNINA”.
   E Roma, onde de modo especial se centralizou o culto dos mistérios, naquele tempo passou a se chamar SATURNIA, cidade ou residência de Saturno, o título saliente do deus Tamuz (por presidir ele o ocultismo).
   Isto tudo são dados indiscutíveis da História.