19 de dez de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
estatuetatrofeupromessas
“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oseias 4:6)
Há alguns que se iludem confiando em suas próprias forças, vozes, harmonias, melodias, danças… em suas próprias emoções e, pior ainda, em sua própria “sabedoria”.
Esta postagem é a sequência natural de “criminosos” e, antes de escrevê-la, tive de ficar uma semana “digerindo” tudo que testemunhei enquanto estive presente, em ato de protesto, naquele que foi — conforme alguns alardeiam com orgulho — o primeiro evento gospel promovido e patrocinado pela “potência” rede globo de televisão: o grotesco “troféu promessas”.
O que passo a narrar agora é a descrição dos fatos que culminaram em um dos momentos mais terríveis que já tive a oportunidade de testemunhar em toda a minha vida… e o mais curioso é que só fui me dar conta da plenitude de toda a malignidade que testemunhei algumas horas após, pois até então não tinha conhecimento suficiente para discernir.
Por este já ser o terceiro protesto do qual participo, pretendo apresentar uma visão focada na estratégia empregada e na comparação entre a Palavra de Deus e os vários fatos e detalhes “imperceptíveis” que tiveram lugar nesse evento.
Talvez seja um defeito meu, mas gosto de destacar e indicar postagens de outros autores sempre que possível e, no caso de hoje, não posso deixar de indicar os registros de Alan Cristie e Paulo Siqueira, pois apresentam outras perspectivas sobre o mesmo tema.
Como alguns irmãos colaboraram com a confecção dos banners e demonstraram o sincero desejo de estar lá, vou apresentar detalhes bastante minuciosos de tudo o que ocorreu… não para que sejam tomados como algum tipo de “manual”, mas apenas para que tenham uma noção ampla de como procedemos e possam discernir parâmetros de ação caso decidam protestar em suas próprias cidades.
RELATÓRIO DE POSICIONAMENTO
Mapa
Eu e Rorschach, por termos sido os primeiros a chegar, fomos brindados com uma “chuveirada” bem forte.
Diferentemente de São Paulo (feira em um pavilhão fechado, onde bastava usar a camisa e andar pelos corredores) e Belo Horizonte (uma “passeata” onde podíamos nos postar às margens para exibição das mensagens), no Rio de Janeiro o ponto de concentração foi uma espécie de praça que permitia o acesso do público por diversos lugares e — lembrando que meu principal objetivo ali era o de expor a Palavra às pessoas e não tanto aos cantores — isso dificultou a escolha de um local inicial para exposição das faixas.
Começamos, também porque algumas árvores ofereciam proteção contra a chuva, bem de frente para o palco (posição “A”), porém a maior parte do público parecia vir chegando da Avenida Rio Branco e do Aeroporto: fomos para a posição “B” e, mas tarde, quando a chuva se foi, aproveitamos uma árvore (na posição “C”) para nos auxiliar no equilíbrio dos cartazes.
Quando, cerca de uma hora e meia após nossa chegada, os outros protestantes chegaram, se posicionaram na posição “A”, para onde retornamos e permanecemos enquanto conseguimos.
Um ponto importante a destacar é que NUNCA nos posicionamos no meio da multidão: eventualmente os conflitos ideológicos surgem e alguns se revoltam contra nós, sendo grande a possibilidade de que se exaltem um pouco além da pacífica conversa — no “meio da galera” esse tipo de reação pode acabar virando até linchamento.
Outro conselho: ainda que longe da concentração, procurem sempre algum posto policial ou de organização ao qual possam ter acesso imediato. Caso não existam, procurem se posicionar perto de viaturas estacionadas.
Estar disposto a dedicar sua vida em defesa do verdadeiro evangelho não significa que você tenha de se expor a riscos desnecessários ou agir como um potencial candidato ao suicídio!
“Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem, E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: NÃO TENTARÁS ao Senhor teu Deus.” (Lucas 4:9-12)
COMUNICAÇÃO: ESCRITA E FALADA
Infelizmente, foram levadas mais faixas do que haviam participantes para sustentá-las abertas, ressaltando que o conteúdo, quando não era uma TRANSCRIÇÃO DIRETA da Palavra de Deus, era sempre relacionado às passagens bíblicas: NUNCA ofensivo!
Vejam:
banner1 banner2 banner3
Lembre sempre que é a Palavra de Deus que está sendo defendida… e não alguma denominação ou empresa eclesiástica!
A exposição das faixas chamava a atenção das pessoas e algumas se dirigiam a nós com questões acerca do protesto.
Houve um homem, em particular, que se achegou, aparentando nervosismo, e já lascando a pergunta: Qual é a sua igreja? Quem é o seu pastor?!
Como cada um ali tem sua história, tentei explicar a condição de cada cristão citando Apocalipse 1:5-6, onde se mostra que fomos feitos reis e sacerdotes através de Jesus Cristo… antes que eu terminasse de falar ele já repeliu: EU NÃO SOU! Eu não sou rei nem sacerdote!!!
Quando expliquei que estávamos ali em defesa do evangelho genuíno que só pode ser encontrado na leitura e no conhecimento da Palavra de Deus, fez uma cara de nojo tão intenso… começou a agitar as mãos e os braços que pensei até que queria me dar um tapa!
Ele esbravejava, nos chamava de malucos… até mesmo se dirigiu às outras pessoas que estavam ali se informando e, com sinais de “negativo”, tentou afastá-las de nós!
Isso equivale a dizer que, para pessoas como ele, a Bíblia não vale de nada! Só vale a empresa eclesiástica e o “direcionamento” por parte de algum “untado do sinhô”…
Um outro, também indignado pelo fato de existirmos, quase nos ofendeu, achando absurdo que estivéssemos ali, protestando “na frente da rede globo”, quando deveríamos “demonstrar unidade”… que aquilo ali era uma “oportunidade única”…
E, diante de nossa persistência na fidelidade à Palavra, saiu irado e pisando forte.
Foi logo depois disso que aconteceu o momento mais terrível de todo o espetáculo: não foi a calça masculinizada da mulher que clama por unções estranhas; também não foi o ritmo de macumba utilizado pelo pregador Luo e nem as tantas e absurdas falsas promessas proferidas alegremente pelos que fingiam pregar — sempre um evangelho onde nunca se fala em arrependimento dos pecados, apenas em bênçãos — durante os intervalos.
A coisa mais imunda que ali eu pude testemunhar foi a gritante rejeição do verdadeiro evangelho através de um convite à direta negação do sacrifício realizado pelo Senhor Jesus Cristo na cruz!
Como GENTIOS convertidos justamente por esse sangue — e nunca como hebreus — tenhamos a consciência de que as coisas da Lei não se aplicam, nem de brincadeira, na Graça e analisemos a letra da música:
Quando o Povo do Senhor está louvando, adorando, exaltando,
Deus abre os Céus
E faz cair sobre o Seu Povo a Sua Glória,
uma Chuva de Vitória com Sabor de Mel
Quem vai passando, vai parando, fica olhando, perguntando:
“Ai, Meu Deus, que Alegria é Essa?”
Quanto mais o Povo louva e glorifica, a Unção Se intensifica,
vai virando festa… festa
Parece mesmo que a gente PAROU NO TEMPO,
VOLTOU NAQUELE MOMENTO em que Salomão levantava as mãos pro Céu e adorava
O Senhor MANIFESTAVA sobre a multidão
Voltando no tempo real a gente sente
que o Senhor está Presente aqui neste lugar
Se a gente levantar as mãos pro Céu e adorar o Nosso Deus,
Ele vai derramar
Vai derramar, vai derramar, vai derramar, vai derramar, vai derramar a Shekinah (4x)
Derrama, derrama, derrama, derrama, derrama, derrama, derrama, Jeová Derrama, derrama, derrama, derrama, derrama, derrama, derrama Shekinah
Jacó viu na visão uma Escada que a Terra ao Céu ligava;
que coisa mais Linda!
Sobre aquela escada ele contemplava
Anjos que ali estavam descendo e subindo
Estou sentindo que aqui também tem anjos
e estão sobrevoando esta multidão
Estão olhando quem está glorificando,
vaso que está transbordando cheio da unção… unção.
A Bíblia diz que o profeta Isaías também viu,
um certo dia, o Sublime Trono
E sobre Ele o Senhor Se assentava,
Anjos Lhe glorificavam, louvavam Seu Nome, dizendo:
“Santo, Santo, Santo é o Senhor, Deus Eterno”
Era Glória em todo lugar
Se a gente levantar as mãos pro Céu e adorar o Nosso Deus,
Ele vai derramar
No ritmo da banda, no acorde da canção
No passo do compasso, no bater do coração
Na Glorificação do Nome de Jeová
Deus vai abrir o Céu e derramar a Shekinah
Ora, sem a necessidade de maiores pesquisas essa música já é um completo anátema, pois ainda que fossemos considerar a tal “shekinah” como sinônimo válido biblicamente para “glória de Deus”, a ignorância explícita (grifada na letra por mim) à cronologia nega o texto registrado:
“E Jesus, dando um grande brado, expirou. E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo.” (Marcos 15:37-38)
Esse… esse único e singular momento marcou o fim da Lei, de modo que a “glória manifesta de Deus”, oculta pelo grosso véu que se rasgou, dali foi embora PARA NUNCA MAIS voltar a esta terra!!! Em seu lugar nos foi dado o Espírito Santo, que habita em todo aquele que crê… sem necessidade nem de “oleozinho” na cabeça!
Ter conhecimento de tais informações é ponto FUNDAMENTAL na identificação de qualquer pessoa como cristão, assim como ter ciências de algumas das coisas que Deus NÃO PODE FAZER, dentre as quais destacarei apenas 3:
  1. Deus não pode mentir, pecar ou errar;
  2. Deus não pode voltar no tempo para alterar o passado;
  3. Deus é fiel: não pode contrariar Sua própria Palavra em hipótese alguma.
Ora, sabendo disso e olhando a letra dessa música, fica claro que estamos diante de uma negação ao Senhor Jesus… e o que a Palavra tem a nos mostrar sobre isso não é agradável:
“Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 10:32-33)
Diante disso, voltem a letra e prestem atenção que o nome do Senhor Jesus Cristo não é mencionado UMA VEZ SEQUER! O que mais falta para esclarecer que isso NUNCA FOI EVANGELHO, senão pura rejudaização… e, como logo vou revelar, do pior tipo!
Um sentimento de revolta tomou conta de mim ao assistir aquela multidão ignorante pulando de mãos para o alto, como se essa grave heresia fosse algo excelente e, enquanto filmava, reconheci ali (inicialmente) um fenômeno de possessão intelectual em larga escala!
Está tudo registrado nos vídeos, porém um jovem que estava por perto ouviu minha menção a “possessão” e veio, irado, querer me confrontar:
— Então quer dizer que eu, com Jesus em meu coração, não posso orar a Deus e pedir para ele me enviar a shekinah?!
— Não… se você tem Jesus Cristo em seu coração, então você tem o Espírito Santo, que é a única unção dada por Deus da qual você necessita, habitando em você! A “Glória de Deus” é uma outra coisa, restrita ao Templo do Antigo Testamento…
— Então quer dizer que Deus, Todo Poderoso, não tem poder para me enviar a shekinah?! Você precisa conhecer mais de Deus!! Eu vi quando você disse que essa multidão inteira estava possessa e então isso quer dizer que eu estou possesso!!! Isso não é comportamento de servo de Deus!!
— Você sabe as coisas que Deus não pode fazer?
— Deus pode tudo! Deus faz o que Ele quiser! Ele pode me enviar a shekinah se eu pedir de todo o coração!!
Vendo que a argumentação estava se tornando impossível, tentei outra linha de raciocínio:
— Se você pedir, de todo o coração, para que Deus mate alguém… você acha que Ele o fará?
Aí ele parou um pouco (ufa!) e quase não acreditei quando vi que ele finalmente pensou e, meio contrariado, respondeu:
— Não…
— Então essa é a primeira prova que eu te dou de que Deus não vai sair por aí fazendo tudo o que as pessoas pedirem “de coração”, porque o coração do homem é enganoso!
Ele “perdeu o rebolado”, mas não ficou satisfeito com a resposta… saiu de perto ainda se sentindo ofendido pela classificação de “possesso” e mal sabíamos, tanto ele quanto eu próprio,  o quão correta foi essa afirmação…
Ainda houveram outros repetindo a ladainha de que não poderíamos estar protestando contra a “pregação do evangelho”, que estávamos indo contra uma obra que “alcança milhares de almas”…
Para acabar de vez com essa argumentação ridícula, vou registrar aqui e agora uma sequência de raciocínio lógico baseado exclusivamente em axiomas bíblicos.
SEQUÊNCIA PARA VALIDAÇÃO DE “MENSAGEM EVANGÉLICA”
1. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10:17)
Explicando a “pegadinha”: o ato de ouvir, se não ligado diretamente à Palavra de Deus, não conduz a fé genuína!
Ao criar músicas que destacam eventos bíblicos judaicos, seus autores NÃO ESTÃO falando do evangelho, mas sim da rejudaização! Isso não é libertar pela graça, mas, pelo contrário, é escravizar sob a Lei!
Quem afirma “ter se convertido” ao ouvir algum desses lixos, na verdade se “convenceu” de algo que não lhe diz respeito: é um gentio tolo querendo advogar sobre si promessas feitas aos hebreus e, pior que isso, se recusando a permitir a verdadeira ação (assim como as responsabilidades decorrentes) de ser habitado pelo legítimo Espírito Santo!
Quem se “converte” porque viu uma “dancinha” na empresa eclesiástica… foi, de acordo com a passagem bíblica acima, convertido a qualquer coisa, menos ao verdadeiro evangelho.
Quem “crê” em qualquer coisa FORA da Palavra ou, ainda que dela, porém manipulada ou fora de contexto, NÃO TEM uma FÉ LEGÍTIMA: está crendo em qualquer coisa — dança, música, ídolos, boas obras — … menos em Jesus Cristo!
2. “Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.” (João 7:38-39)
Ora, sabendo que os “convencidos” fora da passagem nº 1 não creem de verdade, fica óbvio que os mesmos NUNCA RECEBERAM o Espírito Santo!
Eles vão pedir, pedir… mas enquanto não conhecerem a VERDADE DAS ESCITURAS, não há como recebê-lo! Da mesmo forma que sua “santificação” nunca passará de uma farsa:
“Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17:17)
É por isso que existem pessoas que vão passar a vida inteira frequentando uma denominação ou uma empresa eclesiástica com assiduidade, vão fazer o bem e… no final das contas, serão rejeitadas!
Ou alguém vai se levantar para dizer que há erro na Bíblia? está escrito:
“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha.” (Mateus 7:21-24)
Quem é assemelhado ao homem prudente?
Aquele que ESCUTA AS PALAVRAS do Senhor Deus, ou seja… voltamos à passagem nº 1 e, novamente, catalogamos mais motivos para rejeitar as excrescências musicais existentes na categoria de “evangelho”!
Então, alguns questionarão, você escreve isso na intenção de que todo o movimento gospel pare? Que todos os shows como esse acabem?!
Não… até estas gritante ridicularização do evangelho acontece para que a Palavra de Deus permaneça inerrante:
“Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.” (Mateus 24:9-14)
Diante dessa passagem, por favor, questione-se: você e seus líderes, em sua função como cristãos, estão sendo amados ou odiados pelas nações do mundo? Você e seus “líderes” estão se tornando populares e queridos… até pelas emissoras que servem a satanás?!
Pois é… acho que a mensagem deturpada e repleta de falsas promessas, que você canta  e na qual crê, acabou te colocando do lado errado, não é mesmo?
O nome disso, caso você não saiba, é APOSTASIA! E, que vergonha, você, ao invés de resistir está sendo ao mesmo tempo agente e vítima dela!
“Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição (…) A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade.” (2 Tessalonicenses 2:3, 9-12)
No terceiro parágrafo escrevi sobre haver testemunhado um dos momentos mais terríveis de minha vida e, ao menos quem acompanha meus textos, até agora não viu nada de tão pior em relação a outras postagens.
Aqui seria o final do texto caso “shekinah” fosse realmente sinônimo válido e bíblico para “Glória Manifestada de Deus” (ou coisa parecida)… e ainda assim já estaria apontando erros suficientes para envergonhar qualquer pretenso cristão, mas… daqui para frente, acho que seria melhor esclarecer o verdadeiro significado dessa palavra:
SHEKINAH
Vamos começar esclarecendo, com base em um texto admitido pela própria comunidade shekinah, um ponto muitíssimo importante àqueles que não sabem
“Sinteticamente ‘shekinah’ pode ser definido como: ‘a glória de Deus manifesta’!
O vocábulo ‘shekinah’ não aparece na Bíblia, é uma transliteração da raiz hebraica ‘shkn’ = habitar.
Este termo ‘shkn’ é muito usado pelos TARGUMITAS e RABIS e adotado pelos cristãos. Refere-se à glória visível de Deus habitando no meio do seu povo. Usa-se este vocábulo para designar a presença radiante de Deus, como vista na coluna de fogo, no Monte Sinai, no Propiciatório entre os querubins, no Tabernáculo, no Templo, etc.
Embora a palavra ‘shekinah’ não apareça na Bíblia, há alusões à glória de Deus (‘shekinah’) em diversas passagens.”
Assim como se observa no texto da Wikipédia acima apresentado, até mesmo a Bíblia de Estudos Pentecostal declara, em suas notas doutrinárias de rodapé, que nenhum dos autores bíblicos jamais usou a palavra “shekinah” para designar o que quer que seja, nos seus textos originais em hebraico.
Ela também afirma que o vocábulo “shekinah” é uma palavra relativamente nova criada pelos RABINOS e não pelas pessoas que escreveram a Bíblia!
Portanto, fique esclarecido que “SHEKINAH” NÃO APARECE NA BÍBLIA!
Não é implicância minha, mas sabem o que está prometido para qualquer um que acrescentar ou retirar qualquer coisa da Palavra de Deus? Vejam:
“Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” (Apocalipse 22:18-19)
Mas quem iria querer introduzir um novo vocábulo nas práticas cristãs… e com qual objetivo?!
Se preparem, pois as coisas vão piorar:
“Para se compreender esta confusão engenhosamente criada em torno dessa tradução distorcida da palavra hebraica ‘shekinah’, podemos comparar esta grave situação à de um grupo hipotético de cristãos que, por falta de conhecimento, começaram a invocar a Deus pronunciando ‘Maria’.
Se alguém nos dissesse que ao pronunciar a palavra ‘Maria’ estaríamos invocando ao Deus vivo e verdadeiro, para nós que compreendemos o idioma português, isso pareceria, no mínimo, ridículo.
No entanto, para a maioria da população cristã, que não sabe ler ou falar em hebraico, esta distinção se torna extremamente difícil.
Apesar de estarem sendo instigadas a clamar a Deus através desse nome, o fato é que quase ninguém sabe o significado real do vocábulo hebraico ‘shekinah’ e, muito menos qual é o sentido que o mesmo assume no âmbito do judaísmo.
Por isso, em seus cultos, quando alguns evangélicos elevam suas vozes clamando pelo derramamento dessa ‘shekinah’ sobre si mesmos e sobre todo o povo, estão pronunciando uma palavra cujo significado e totalmente diferente do que lhes foi ensinado: este nome que estão se acostumando a invocar na verdade é a palavra hebraica que identifica UMA DEUSA SUMERIANA DA FERTILIDADE SEXUAL chamada INANA.”
Uma “deusa”? O que a Bíblia tem a dizer sobre isso?
“Para que todos os povos da terra saibam que o Senhor é Deus, e que não há outro.” (1 Reis 8:60)
“Para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que fora de mim não há outro; eu sou o SENHOR, e não há outro (…) Porque assim diz o Senhor que tem criado os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a confirmou, não a criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR e não há outro (…) Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro.” (Isaías 45:6, 18,22)
Apesar da clareza das passagens acima, pode ser que apareça algum louco intelectualmente possesso e me acuse de estar usando passagens veterotestamentárias, de modo que acho importante ver o que o apóstolo Paulo pode acrescentar sobre o assunto:
“Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.” (Efésios 4:1-6)
Diante de mais estas informações, acho que já estamos prontos para abrir o jogo:
“Na verdade o vocábulo ‘shekinah’ consiste em uma palavra nova, que foi criada pelos rabinos e introduzida muito tardiamente no judaísmo como um dos muitos nomes da famigerada demônia do misticismo judaico conhecida como LILITH.
As referências doutrinárias da Bíblia de Estudos Pentecostal também reconhecem que o termo ‘shekinah’ é um das palavras hebraicas que o judaísmo usa para designar a ‘deusa’ mesopotâmica ‘LILITH-INANA’.
Toda a documentação apresentada comprova que o vocábulo ‘shekinah’ é o nome que o idioma hebraico usa ao referir-se a uma ‘deusa’ da fertilidade do misticismo judaico, e que, portanto é o nome de um DEMÔNIO.
Por isso todo aquele que tentar invocar, louvar ou adorar a Deus usando a palavra hebraica ‘shekinah’, não estará, verdadeiramente, invocando, louvando ou adorando a Deus, mas sim a um DEMÔNIO CABALÍSTICO.”
Agora tudo ficou claro!
Isto explica porque a rede globo finalmente abriu suas portas para os “evangélicos”: não temos, nesse episódio, apenas a questão financeira, mas conseguiram embutir sob o pretexto de “louvor” uma adoração ao próprio demônio!!!
Pior do que isso: um mantra onde aqueles milhares de “convencidos do evangelho”, cheios de boa vontade — mas que ainda não são habitados pelo Espírito Santo, conforme anteriormente mencionado — clamam intensamente pela possessão.
Para aqueles que temiam e criticavam a possibilidade do incentivo ao ecumenismo… acho que isso é prova suficiente de que conseguiram superar as expectativas.
Os satanistas, inclusive, devem estar bastante satisfeitos com tudo isso: para que realizar “missas negras” se os evangélicos já estão invocando abertamente os demônios durante seus eventos públicos?!
Eu estava lá, eu testemunhei isso acontecendo… e foi uma visão horrenda!
REFLEXÕES
Deixei para publicar minhas impressões depois da transmissão do evento pela televisão: sei que muitos vão falar sobre a questão financeira, sobre os louvores vazios… e eles não estarão errados em suas afirmações! (Inclusive, dentre todos os que pude ler, gostaria de destacar e indicar o texto de Vinícius Musselman, para o “Voltemos ao Evangelho”)
Porém sou levado a crer que fui um dos poucos a ter essa visão assustadora… talvez até mesmo no caráter que alguns chamam de “revelação” — e que eu, levando em conta a forma errônea como tem sido aplicado em nossos dias, continuo achando um termo bastante ridículo e dramático — acerca dos milhares, talvez milhões, de “evangélicos” do Brasil: ignorantes, irreverentes… possessos por demônios!
Essa constatação me assombra ainda mais ao relembrar o ímpeto com que fui abordado pelo jovem quando, durante as filmagens, mencionei a palavra “possessos”: como, no meio de tanto barulho, ele pôde ouvir isso?
Teria sido aquela abordagem efetuada por um “controle remoto”, operado a partir do mundo espiritual e controlado por alguém indignado por ter sido descoberto? O jovem foi apenas o “canal”…
E, por falar em canais, tenho visto muitas pessoas realizando um esforço cada vez mais intenso para “abafar” o que tem sido revelado pela confrontação entre os fatos e a Palavra de Deus: gente que se afirma temente a um deus, mas que não sabe sequer aplicar a Palavra de Deus!
Enquanto nós, gentios, estivermos nos submetendo a um molde religioso judaico e abolido, NUNCA chegaremos nem perto do que é ser um cristão de verdade!
Enquanto buscarmos pretexto e justificativa em eventos do Antigo Testamento, nunca alcançaremos o entendimento para vivermos plenamente a era da Graça, teimando em nos submeter a uma Lei que, cumprida em Cristo, tornou-se obsoleta.
Talvez agora seja a hora para que você releia a letra miserável do “louvor” que destaquei nessa postagem: é uma afronta direta ao Senhor Deus, invocando manifestações únicas como se fossem promessas, tentando restabelecer o tempo veterotestamentário e, com isso, negando ao Senhor Jesus Cristo — que, aliás, nem é mencionado —  se utilizando das técnicas de mantra e, como cereja do bolo, invocando um demônio!
Muito obrigado, Damares! Muito obrigado, “irmão” Lázaro! Vocês estão fazendo a palavra profética acerca dos últimos dias se cumprir mais rapidamente:
“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.” (Mateus 24:21-24)
Esse é o tipo de profecia aparentemente odiada por gente como Gustavo Bessa, marido de Ana Paula Valadão, que foi capaz de escrever a seguinte justificativa absurda no blog de sua esposa:
“Com a queda do império babilônico e da sua malfadada tentativa de descaracterizar os povos, a Pérsia assumiu o cenário internacional. Ao invés de tentarem destruir a identidade dos povos com o propósito de enfraquecê-los e conquistá-los, os persas decidiram resgatar a identidade dos povos a fim de fortalecê-los e tê-los como aliados.
Por essa razão, Ciro escreveu um decreto permitindo e encorajando a volta de todos os judeus para a Palestina. Ele inclusive patrocinou a reconstrução do templo em Jerusalém, pedindo aos judeus que orassem por ele.
Não que Ciro tivesse se convertido ao Deus do Céu. Ele não pensava religiosamente, mas sim politicamente. Ele queria ter aliados políticos a fim de manter o seu império.
Enquanto Ciro pensava a partir da perspectiva política, o povo Judeu pensava a partir da perspectiva divina. Para eles, não importava se Ciro queria alcançar favores políticos, mas, sim, que Deus o estava usando para que o Templo fosse reconstruído, o fogo do altar fosse reaceso, a adoração fosse restaurada e o povo judeu pudesse reafirmar a sua identidade como povo de Deus.
Portanto, ao invés de levantarem a voz contra Ciro, eles decidiram agradecer e adorar a Deus pela porta que havia sido aberta. A igreja evangélica brasileira passa por um momento parecido.
(...)
Enquanto a Rede Globo pensa a partir da perspectiva comercial, a igreja evangélica precisa pensar a partir da perspectiva divina. Se Deus usou Ciro para que o culto no Templo de Jerusalém fosse restabelecido, será que Ele não teria poder para usar a Rede Globo para que a mensagem do evangelho seja proclamada, o nome de Jesus seja levantado e a identidade da igreja seja reafirmada?
Ainda que muitos possam duvidar, Deus continua tendo todo o poder! Portanto, ao invés de levantarmos a voz contra Ciro, que tal agradecermos e adorarmos ao Senhor por essa porta que foi aberta!?”
Vou tomar a liberdade de responder com simplicidade a tanta baboseira junta: Ciro foi usado porque a maior promessa de Deus para o mundo ainda não havia sido cumprida e a existência do templo era parte fundamental para que isso ocorresse.
É mais do que óbvio que Deus continua tendo todo o poder em nossos dias, mas suas promessas… ah, meu pobre pastor enganador e cego… suas promessas agora são outras bastante diferentes, veja:
“Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição (…) A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade.” (2 Tessalonicenses 2:1-3, 9-12)
Em nosso tempo, Deus está enviando a operação de erro e você, caro pastor adepto veterotestamentário, é um agente mais do que declarado dessa missão: tentar enganar os incautos com seu papo bonitinho e com os gemidinhos de sua esposa apenas os tornam mais condenáveis… e não sou eu quem os está condenando, mas a própria Palavra de Deus contra a qual se rebelaram e decidiram distorcer!
Estamos em Laodicéia… não tem mais volta para Filadélfia!!!
Deus, além de CUMPRIR SUA PALAVRA, NÃO VOLTA NO TEMPO!
Ah! E não adianta querer infiltrar seus irmãos entre aqueles que lutam por um evangelho puro e simples, pois sei muito bem que seus sinais secretos os unem a ponto de, mesmo em partidos opostos, se permitirem registrar amistosamente próximos…
Eu já havia denunciado que sua esposa é possessa há muito tempo, mas agora parece que o exército está aumentando e botando as asinhas de fora… quem diria que o herege do Edir Macedo poderia estar certo em alguma coisa, hein?
A todos os que estão ligados a essas falsas promessas digo:
Parece que os lados já foram escolhidos: assim como eu não posso parar de pregar a Verdade na expectativa de que ao menos um pouco de trigo se destaque no meio da imensidão de joio, tenho até medo de imaginar o que vocês podem perder caso renunciem ao pacto diabólico ao qual se submeteram…
Posso apenas dar um conselho verdadeiro: O Deus que inspirou a Bíblia —que não é o deus que vocês tem apresentado em seus espetáculos de imundícia — é poderoso para guardar todo aquele que verdadeiramente se arrepender de seus maus caminhos, sejam eles quais forem!
Não venham na expectativa de promessas vazias — nesse mundo tereis aflições e esse papo de “sabor de mel” é pura balela! — está escrito:
“Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” (Apocalipse 2:10)
CONCLUSÃO
Está mais do que claro: não foram os evangélicos que ganharam a globo… foi satanás que dominou os evangélicos!
Quem desejar maiores informações sobre o demônio “shekinah”, indico os seguintes textos:
E, depois disso, pensem que tem gente tonta a ponto de criar empresas eclesiásticas com o nome de “shekinah”… isso equivale a “comunidade do demônio” e dá até medo!!!
Para este tipo de gente e mais aquela multidão de sempre que vem com o discurso do “não julgueis / não critiqueis”, sugiro que antes de gastar seus dedinhos expressando sua indignação, use a cabeça e tente aprender alguma coisa com o excelente texto de Maurício Zágari.
E esta é minha última postagem do ano de 2011: quem quiser saber de mais algumas notas rápidas, basta “curtir” minha página do facebook para que os comentários que publico sobre o que anda ocorrendo pelo mundo passem a aparecer em seu mural.
Eis um vídeo que ilustra praticamente tudo que relatei aqui.
A princípio — e se for da vontade do Senhor — pretendo retornar em 2012 e sei que, do jeito que tudo tem se configurado, a batalha será ainda mais intensa.
Principalmente porque se alguém não ama ao Senhor Jesus Cristo… seja maldito!
Que o Senhor Deus proteja, sustente e abençoe a cada um daqueles que verdadeiramente O amam e buscam conhecê-lO e serví-lO através do conhecimento de Sua Palavra.
LINK CURTO PARA ESTA POSTAGEM
http://bit.ly/promessasfalsas

Related Posts with Thumbnails