19 de nov de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
   Olá amigo de Deus (TEO = DEUS + FILO = AMIGO) Teófilo.
   Li seus comentários sobre a Flauta Mágica, porém não vim pra te atacar nem criticar.
   Sou teólogo, historiador e pesquisador de tudo o que se refere a maçonaria, seitas e religião também.
   Estive na Itália como EXEGETA e hoje me considero apenas um cristão, que acredita em um Deus Supremo e criador de todas as coisas segundo a Bíblia.
   Vi a sua indignação e frustração com a musica clássica somente por tu seres sabedor que Mozart era maçom: caso queiras se desfazer dos teus CDs eu os compro de ti (rsrsrs)…
   Mas, com relação a sua FÉ, ela parece ser bonita, assim como a sua historia também é bonita… porém, meu jovem filho, não te deixes alienar por sua religião: você possui uma retórica belíssima e não deixe que isso destrua algo que é belo em você!
   Percebi através de seu relato que você gosta muito de ler e assim o faz desde garoto. Caso queiras uma indicação de um velho desconhecido para aumentar seus pequenos conhecimentos ai vão as dicas:
   O QUE JESUS DISSE, QUE MUDOU A BIBLIA E PORQUE? — O autor é David Bhart Ermam.
   Não irei relatar nada sobre o livro, mesmo por que você se mostra uma pessoa bastante inteligente.
   Com relação a maçonaria, tenho vários amigos que são pastores (evangélicos) e padres (católicos)… me responda você:
   Porque um pastor de um igreja evangélica se torna um maçom?
   Aguardo seu retorno, meu jovem amigo.
JF
   Percebo por suas palavras que não é “qualquer um”, desses que escreve por escrever ou simplesmente ofender… tudo indica que é um homem de grande educação e, desde já, esclareço que sou mero burro xucro, que engana por se expressar um pouco melhor que a maior parte do restante da tropa.
   Já de início dou uma triste informação: a coleção de música clássica foi migrada de CD’s para MP3, de modo que a velha e gigantesca pilha de plástico já não mais existe… foi vendida a preços módicos para ajudar a cobrir as grandes despesas que não param de se lançar contra mim!
   Ainda assim, consciente de que ouvir música é um prazer análogo ao de comer um delicioso chocolate, eventualmente me permito desfrutar das obras clássicas às quais me referi… e isso acaba sendo mais um canal de afastamento entre esse burro que agora escreve e o resto da tropa, que se alegra bestialmente ouvindo um ritmo tribal que se nomeia a partir de uma onomatopeia que simula o efeito de se farejar algum cheiro ruim: “funk! Funk!”.
   Não me vejo como um “religioso”… ao menos não como foi-se convencionado a identificá-los: estou indo para meu sexto ano consecutivo sem pisar em empresas eclesiásticas (e, nas vezes que pisei, geralmente saí delas ainda mais convicto de sua inutilidade).
   Tenho descoberto e posto em prática muito do que está “oculto” (mesmo que exposto de modo gritante) aos olhos da população naquele livro chamado “Bíblia” e, para a surpresa de muitos, isso tem funcionado até melhor do que se poderia esperar.
   Apesar de almejar uma vida um pouco melhor (principalmente por conta do conforto da família), não miro em ostentações como botas de couro de píton ou jatinhos… e é a palavra que define o desejo de uma vida exuberante que explica o motivo principal pelo qual tantos pastores evangélicos têm se tornado maçons: GANÂNCIA!!!
   O outro seria uma condição restrita e exclusiva dos cristãos: IGNORÂNCIA da Palavra de Deus!
   Ignorância tal que acabei chegando a conclusões assombrosas após um episódio recente, quando uma querida irmã me pediu que analisasse um link com o qual ela concordaria parcialmente. Veja a análise:
   Uma terceira opção é que, cientes da inutilidade da chamada “COBERTURA ESPIRITUAL” evangélica, os mesmos prefiram optar pela cobertura “fraternal” maçônica, que acaba apresentando resultados praticamente imediatos: é só fazer alguns “passos secretos” que até mesmo os supostos opositores arrumarão um jeito de providenciar favorecimento…
   Ao pensar nesses sinais e dancinhas, me dei conta que, dia desses, enquanto participava de um protesto, houve apenas uma pessoa que (inocentemente imaginei estar do lado do evangelho puro e simples) fez questão absoluta de registrar uma fotografia, sorridente, junto a um dos “grandes líderes” presentes no local… será que ele fez alguma “dancinha” para atrair a atenção de seu “irmão”?
   Pior ainda foi que, um mês e um dia depois, essa mesma pessoa foi se aliar a alguém cujo comportamento (apesar de se intitular “cristão reformado”) já foi comprovadamente demonstrado como sendo semelhante ao de um legítimo servo de satanás… seria essa mais uma evidência de “fraternidade”?
   Devo ressaltar que NADA TENHO CONTRA os maçons, assim como NADA TENHO CONTRA católicos, judeus, islâmicos, homossexuais… sendo você um teólogo, imagino que conheça a seguinte passagem:
   “Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.” (1 Coríntios 5:9-13)
   Isto posto, informo que convivo pacificamente com todas as “tribos” existentes e encontro tais figuras até mesmo em meu seio familiar, portanto seria um grande erro se alguém dissesse que sou contra a maçonaria.
   Minha questão, na verdade, se impõe CONTRA OS CRISTÃOS (ou melhor, aqueles que se afirmam como cristãos) que fazem parte da maçonaria: não precisamos nos aprofundar em pesquisas, pois já desde o simples juramento inicial se apresentam as graves incompatibilidades.
   Um cristão que queira “encontrar luz” em qualquer outra coisa que não seja unicamente no Senhor Jesus Cristo e unicamente através da Bíblia… não merece ser chamado de cristão e, conforme o conselho de Paulo acima transcrito, devemos expor e tirar do meio de nós (cristãos genuínos) este iníquo…. de modo que com ele nem mesmo comamos!
   São pessoas incompetentes e indesejáveis a esse ponto que se tornam líderes de gente capaz de se lançar insanamente em discussões, sem nenhuma fundamentação bíblica para sustentar suas ameaças arrogantes e sua aparência de piedade que, no final das contas, é um verdadeiro depoimento CONTRA o cristianismo autêntico…
   Fora isso, sou amicíssimo de vários maçons e plenamente me contento com minha condição de “ignorância”: às vezes trabalho servindo / auxiliando autoridades de todos os países do mundo e, ao cumprimentá-los, eventualmente recebo aquele toque prolongado em meu pulso radial… ao qual me faço de desentendido (por realmente o ser!) e prossigo em minha função.
   Aliás, estou sem entender o que anda ocorrendo com a maçonaria, pois antigamente ouvia dizer que apenas pessoas com determinado nível de influência social poderiam figurar entre seus membros… mas tenho visto cada “cachorro vira-lata” (por assim dizer…) andando com adesivo de maçom no carro que já não posso mais crer na velha história… inclusive chegaram ao ponto de, por e-mail, me convidar a fazer parte de uma loja em outro estado!!!
   Spam maçônico?!?
   Quanto ao livro… infelizmente não estou em condições de dedicar verbas a tal aquisição, porém caso queira me enviar um exemplar… será aceito de muito bom grado! Envie para:
CAIXA POSTAL 10204
CEP 23050-970
RIO DE JANEIRO. RJ.
   Essa é uma informação que servirá não apenas a você, mas a todos que desejarem enviar algo: por favor, REGISTREM o envio!!!
   Tenho o recente e triste episódio de um pastor que me enviou seus livros SEM REGISTRAR e, talvez por culpa da greve dos correios, os volumes NUNCA chegaram… até hoje!!!
   Bom, para finalizar essa comunicação, destaco que, PERANTE O MUNDO, não há nada de errado com a maçonaria e suas ações fraternais, porém há uma outra pequena passagem na Bíblia que define perfeitamente a condição do cristão:
   “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” (Tiago 4:4)
   Como esta resposta pode ser interessante não apenas a você, tomei a liberdade de transformá-la em postagem e, por conta disso, passarei a tratá-lo no plural a partir de agora.
   Sei muito bem que a organização maçônica é parte de uma estrutura muito grande… não sei dizer se é mais como um tentáculo ou como a “ponta de um iceberg”, mas não é errado afirmar que são quase “donos” deste mundo. Só isto já seria atrativo suficiente para que muitos desejassem se alistar em suas fileiras, mas não e nunca para mim.
   Peço aos maçons que não me levem a mal, mas não é por desprezo que prefiro permanecer em minha condição de cristão simples e ignorante, eventualmente sendo beneficiado (ou não) pela inegável influência de sua poderosa organização através de toda a sociedade mundial: vocês podem ser os donos do mundo, mas é que eu, buscando ser igual a Aquele que sigo, não sou desse mundo… e essa árdua busca é o único motivo pelo qual posso ser chamado de “cristão”.
   “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade.” (João 17:14-19)
   Sejam felizes!

Related Posts with Thumbnails