13 de set de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
oscarbennyhinn
Ao contrário do que o Apóstolo Paulo escreveu, os livros escritos e os sermões pregados pelos astros americanos da Nova Reforma Apostólica sempre enaltecem os seus ministérios: sua razão precípua não é ganhar almas para a glória do Senhor morto na cruz, mas a exata glória de cada um!
Paulo nos ensina a identificar esses falsos apóstolos, transfigurados de ministros do Senhor:
“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.” (2 Coríntios 11:13)
Um falso apóstolo precisa se mascarar o tempo inteiro, conforme o faz o seu mestre (citado na 2 Coríntios 11:14), a fim de conseguir enganar os membros de sua igreja.
Vamos dar alguns exemplos de ministros mascarados de “anjos de luz”, os quais se tornaram famosos no mundo inteiro, arrebanhando milhões de cristãos para o “outro evangelho”: Robert Schüller, Peter Wagner, Benny Hinn, Kenneth Hagin (este já falecido), Kenneth Copeland, Rick Joyner, Rick Warren e centenas de outros. Todos eles riquíssimos, graças à boa fé dos ministros sul-americanos e dos membros das igrejas neopentecostais dos países subdesenvolvidos.
Esses obreiros fraudulentos costumam declarar explicitamente a sua vitória, quando batalham contra os “espíritos territoriais” e outros demônios. Vejamos a declaração de um deles:
“Esses principados malignos serão derrotados aos poucos, através da guerra espiritual travada contra eles em nossas igrejas.
Em contraste, um homem apóstolo, submetido a Cristo, agora reina espiritualmente nesta localidade, em lugar da potestade destronada. E quando esses anjos maus forem completamente derrotados, um por um, o controle de Satanás sobre o mundo será bastante enfraquecido.
Finalmente, numa batalha espiritual global unificada, os últimos apóstolos e a igreja confrontarão o próprio Satanás.”
(esta é a teoria evangélica do Reconstrucionismo, a qual foi copiada de Agostinho de Hipona…)
Quanta grandeza!
Sempre achamos que seriam os anjos de Deus que iriam atirar Satanás no Lago de Fogo, no tempo determinado por Deus…
Judas já nos alertou sobre esse tipo de ministros:
“E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades. Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda. Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem.” (Judas 1:8-10)
Esses presunçosos também acreditam que a restauração do ofício apostólico é a chave para conseguir aumentar as finanças de suas igrejas e em suas mentes consideram-se como a resposta para todos os problemas das referidas igrejas
Alguns até se consideram superiores aos legítimos apóstolos de Cristo, como Rick Joyner, por exemplo, que tem visões, nas quais ele está no mesmo patamar do Senhor Jesus Cristo (o terceiro céu), enquanto o Apóstolo Paulo ficou restrito no primeiro céu.
Após uns nove a onze ataques, um desses apóstolos, o qual se autodenomina “apóstolo presidente”, dá-nos um lampejo desses auto-iludidos homens e mulheres do apostolado moderno:
“Em nosso papel de líderes apostólicos da International Coalition of Apostles (Coalizão Internacional de Apóstolos), Fulano e eu já escrevemos nossas declarações apostólicas iniciais: esta é a minha e a de Fulano será anexada a esta comunicação…
Tenho lido habitualmente um capítulo da Bíblia, no princípio de cada dia. No dia 11/09/2001, li o capítulo 18 do II Livro de Reis, antes de saber da grave crise nacional.
Claro que a minha leitura para o dia 12, após ter sabido da tragédia, foi a II Reis 19 e trata-se da história de Ezequias: no capítulo 18 ele havia desfechado uma ofensiva espiritual, varrendo a idolatria de Judá. O Diabo não gostou disso e então mandou Senaqueribe, da Assíria, contra ele, com uma ameaça idêntica à das Torres Gêmeas.
Foi então que eu orei pelo meu desempenho pessoal nessa crise e fui até o II Reis 19, seguindo a mesma reação de Ezequias, que indagou ao Senhor, O qual lhe enviou o profeta Isaías.
Ele agiu certo:
“Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas” (Amós 3:7).
Somente após ter recebido a Palavra do Senhor através de Isaías, foi que Ezequias prostrou-se novamente aos pés do Senhor, tendo feito a sua declaração real.
Vi que o Senhor queria que eu adiasse qualquer declaração sobre os atentados às Torres Gêmeas, até que a palavra viesse dos profetas (recebi mais de 1000 e-mails), então fiquei preparado para escrever este memorando.”
Será que esse homem realmente se considera um rei, fazendo essa declaração real? E ele prosseguiu:
“Imagino que uma porção de outros apóstolos, fora o Fulano e eu, esteja agindo do mesmo modo. Quem sabe? Talvez algum dia possamos reunir todos eles, a fim de concordarmos em tudo que o Espírito Santo está fazendo na igreja, através da Rede Estratégica de Oração, o Observatório, os Anciãos do Conselho Apostólico, o Centro Jericó e outras unidades vitais.”
Obrigado… senhor “comandante-em-chefe”!
Vocês notaram como eles gravitam em torno dos títulos que esse sistema mundial emprega? São títulos como: estratégia, rede mundial, generais, coalizão, centro, unidade, etc.…
Um desses homens falou sobre uma crescente ascendência de títulos, à medida em que esta ênfase foi mudando de pastores para mestres; de mestres para evangelistas; de evangelistas para profetas e de profetas para apóstolos, nestas últimas cinco décadas.
Quando eu (Michael Clark) escuto isso, já vou pensando que o próximo título será o de Jesus Cristo, o Rei!
Após ter lido esse memorando não me parece tão remota essa possibilidade…
Não existe um tipo de cegueira maior do que o orgulho. Vejamos o que diz a Palavra de Deus:
“Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão, sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moisés em toda a sua casa. Porque ele é tido por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou. Porque toda a casa é edificada por alguém, mas o que edificou todas as coisas é Deus. E, na verdade, Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para testemunho das coisas que se haviam de anunciar; mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim.” (Hebreus 3:1-6)
Contudo, qual é o tipo de casa que esses homens estão edificando e para quem seria a sua glória? A resposta é clara demais!
“Quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou.”
Esses supostos auto-nomeados edificadores de reinos também cobram preços exorbitantes em suas reuniões (até mais de 300 dólares por um assento!).
Eles fazem do ingênuo povo de Deus seu negócio!
Além da Bíblia, temos o Didaquê (escrito em 150 d.C.) e, nele, encontramos as seguintes instruções:
“Ora, sobre os enviados (apóstolos) e profetas, façais exatamente, segundo o objetivo de sua boa mensagem. Então, cada enviado que chegar até vós, acolhei-o, como se fora o próprio Senhor. Mas que não permaneça mais de um dia. E se houver necessidade, também o dia seguinte. Mas se ele ficar três dias, então se trata de um falso profeta. Depois, quando o enviado partir, não deve levar coisa alguma, além de pão, até a próxima pousada. Se ele pedir dinheiro, então se trata de um falso profeta.”
OS SINAIS DE UM APÓSTOLO
A Escritura mostra claramente que existem três sinais para comprovar se uma pessoa é ou não é um enviado.
O ministério de Paulo foi questionado pela Igreja de Corinto. Ele escreveu à mesma, lembrando aos coríntios quais eram os sinais que acompanhavam o ministério de um apóstolo.
O artigo “os”, nos sinais dos apóstolos, implica em que, no primeiro século da igreja, esses sinais deveriam ser confirmados no ministério dos que eram enviados.
Esses sinais eram: milagres, maravilhas e obras de poder (dunamis):
“Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas.” (2 Coríntios 12:12)
Quando Paulo pregava o evangelho, este era cabalmente pregado através de sinais, prodígios e maravilhas, pelo poder do Espírito Santo.
Gostaríamos de indagar a todos esses que, atualmente, se autodenominam apóstolos: vocês têm a certeza? Os sinais de um apóstolo dão cobertura ao testemunho do seu ministério? Será que vocês são mesmo enviados?
Se esses sinais estão ausentes, lamento muito, mas vocês não são apóstolos!
Se não podem afirmar, com toda sinceridade, não exaltem o seu ministério:
“Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo.” (1 Coríntios 15:10)
Seria melhor repensarem a sua vocação…
Não teria sido melhor vocês buscarem Deus, para Lhe pedir que esquadrinhe os seus corações, a fim de verem se o seu apostolado é obra de homens ou é nascido de Deus?
Ele é dirigido pela ambição ou pela graça?
Vocês nada têm a perder, a não ser descobrir a verdade a seu próprio respeito!
Deus sabe se a força motriz por trás dos, assim chamados, apóstolos provém de um desejo de serem os primeiros ou de O amar primeiro para, em seguida, amar o Seu povo:
“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” (Hebreus 4:12)
Já se foi o tempo em que Deus fechava os olhos a esse tipo de tolice e vocês não podem tapeá-Lo! Se persistirem nesse jogo… irão perder!
Paulo nos admoesta sobre isso:
“A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade.” (2 Tessalonicenses 2:9-12)
Durante os anos do nosso Cristianismo institucional, testemunhamos todo tipo de ambição acalentada pelo homem: sejamos honestos diante de nós mesmos, caros santos, permitindo que “a espada de dois gumes penetre até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas”, fazendo uma divisão entre as ambições de nossa alma e o que provém do Espírito Santo para nossas vidas.
A carne não pode ser misteriosamente transubstanciada em algo espiritual! O que é nascido da carne sempre há de ser carne e não pode se gloriar na presença de Deus!
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9)
Esse coração está sempre tentando encobrir a feiura da carne e somente Deus pode discernir os nossos pensamentos e intenções!
Portanto, como sacrifícios vivos, coloquemos-nos diante do altar do nosso Grande Sumo Sacerdote e deixemos que os nossos pensamentos sejam desnudados, tornando-se conhecidos diante de nós… antes tarde do que nunca!
Deus está nos colocando à parte, para que não nos pertençamos a nós mesmos: nossas mentes também já não nos pertencem, pois Aquele que faz novas todas as coisas está trabalhando para nos dar a mente de Cristo.
Uma parte da obra de Deus em nós é levar-nos a ver que nada existe de bom em nossa carne… nada que se possa aproveitar.
Muitas pessoas que se autodenominam “cristãs”, hoje em dia, estão se reinventando, a fim de fugirem da cruz de Cristo, da mesma cruz que exige a morte de nossas ambições.
Quando Pedro disse a Jesus: “Senhor, tem compaixão de ti”, Jesus respondeu: “Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens” (veja Mateus 16:22-23).
Ele se dirigiu ao espírito do Anticristo que estava no íntimo de Pedro e é uma triste realidade: o templo no qual o Anticristo se assenta é o mesmo templo de Deus, naqueles que professam ser os Seus seguidores.
Isso era verdade antes, assim como ainda hoje é verdade, conforme João escreveu:
“Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora. Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.” (1 João 2:18-19)
O espírito do Anticristo domina outros “filhinhos”, com o objetivo de atrair a atenção destes para ele, quando o mandamento é “olhar para Jesus, autor e consumador da fé” (conforme Hebreus 12:2).
Vejamos agora a admoestação de Paulo:
“Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.” (Atos 20:29-31)
Essa tendência constante de sobressaírem-se diante dos irmãos humildes, exaltando-se para chamar a atenção sobre vocês mesmos, a fim de conseguirem seguidores, é a mais perversa e, contudo, é a força típica do “homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus” (conforme 2 Tessalonicenses 2:3-4).
É bem verdade que esse tipo de perversão era muito menor no tempo em que faleceram os apóstolos legítimos, embora já existisse um certo esforço no sentido de exaltar o lado da hierarquia. O Didaquê admoesta:
“Não se exalte a si mesmo, nem permita ousadia à sua alma. Sua alma não se ligará às pessoas elevadas, mas você irá alinhar-se exatamente às pessoas baixas.”
A maior parte do que está sendo exibido nos dias atuais, com tanta pompa e circunstância, como sendo o “movimento apostólico e profético” na passa do cerne do Anticristo!
Esses homens e mulheres que se exaltam sobre os santos de Deus têm sido iludidos e não estão no esquema da exclusividade de Jesus Cristo, em hipótese alguma!
Pode ser que ainda leve alguns anos para que vocês recebam a Sua reprovação, antes que, finalmente, se deem conta do que está acontecendo à Cristandade.
Oramos para que algo novo realmente aconteça, vindo do próprio céu, em vez dessa mistura do velho sistema romano, sob o disfarce de termos bíblicos, para encobrir a sua vergonha.
Fonte: Apostles - True or False?, por Michael Clark & George Davis
Tradução: Mary Schultze
Adaptação e revisão: Teóphilo Noturno

Related Posts with Thumbnails