27 de jul de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
Arrebatamento
Para cumprir o que prometi, devo começar fazendo uma pergunta meio ridícula, mas necessária para o desenvolvimento do raciocínio: você já tirou a tampa do ralo de um recipiente cheio d’água?
Acho que qualquer ser humano já deva ter feito isso ou, pelo menos assistido a água formando um vórtice e escoando até que nada mais reste…
Ora, alguns podem perguntar, o que isso tem a ver com o arrebatamento?
Pois eu posso afirmar com segurança: muita, mas muita coisa mesmo!
Para começo de conversa vamos descartar aqueles que não acreditam nessa profecia, de modo que prossigam na leitura apenas os que esperam tal evento, seja para antes, durante ou após a tribulação.
Descartados os hereges e os humanistas, podemos começar a pensar biblicamente: afinal, quando isto vai ocorrer?!?
Pretendo realizar esta postagem através de muitas citações bíblicas e isso, além de exigir bastante atenção por parte do leitor, pode tornar o texto menos “divertido” para alguns…
A PEÇA CHAVE: O ESPÍRITO SANTO!
Em primeiro lugar gostaria de definir os cristãos de modo bem básico:
“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.” (João 7:37-39)
Acho curioso o fato do Senhor Jesus Cristo aplicar a figura da água nessa referência, pois facilita a analogia à linha de raciocínio que vou apresentar.
Esta passagem é muito, mas muito importante mesmo: abra sua Bíblia na passagem acima citada. Agora segure-a de modo que todas as páginas dela para trás fiquem contidas em uma das mãos e as posteriores em outra.
O que você vê?
Vou explicar: em aproximadamente 5/6 da Bíblia, NINGUÉM TINHA O ESPÍRITO SANTO HABITANDO EM SEUS CORPOS!! Isso porque, conforme está bem claro, Ele ainda não havia sido dado!!!
Pode pegar o exemplo que quiser: Davi? Daniel? Quem sabe Moisés?
Temos muitos registros de episódios ocorridos nas vidas dessas pessoas que, sem dúvida alguma, foram INSPIRADAS pelo Senhor Deus… algumas até mesmo ouviram Sua voz (!!), mas só aqueles que vieram após Atos 2 tiveram o Espírito Santo habitando em si!
Tal “detalhe” acarreta em muitas consequências para as quais a maioria dos cristãos não atenta e, por isso, acaba incorrendo em erros ridículos como, por exemplo, as historinhas místicas em torno do tal “óleo ungido” ou exercícios desnecessários como “subir o monte”…
Alguns pentecostais, por exemplo, cismaram que o Espírito Santo é algum tipo de ioiô que a todo o tempo fica subindo e descendo, de forma que a cada vez que “desça” tenha que repetir os sinais ocorridos exclusivamente no momento de sua chegada. Isso não apenas é completamente contrário ao sentido de “habitar” (permanecer) quanto ignora completamente o significado de “penhor”, aplicado pelo apóstolo Paulo três vezes:
“Mas o que nos confirma convosco em Cristo, e o que nos ungiu, é Deus, O qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.” (2 Coríntios 1:21-22)
“Porque também nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos carregados; não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida. Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu também o penhor do Espírito.” (2 Coríntios 5:4-5)
“Com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós os que primeiro esperamos em Cristo; Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória.” (Efésios 1:12-14)
Maiores detalhes sobre essa operação de erro podem ser encontrados em um estudo intitulado “Cronologia”, mas prossigamos, para não perder o foco, consideremos a chegada do Espírito Santo como um dos “momentos iniciais” do tempo da Graça (o primeiro foi quando o véu do Templo se rasgou!) e nos conscientizemos de que a Bíblia também prevê claramente um fim para esse período.
ESSA GRAÇA VAI ACABAR!
Escrevi brevemente sobre isso em “Onde Cabe Uma Nova Reforma” e sugiro que não deixem de olhar os comentários, porém a passagem principal que indica tal conclusão é:
“Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco? E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado.” (2 Tessalonicenses 2:1-7)
Há alguns que querem relacionar erroneamente esse “que o detém” às empresas eclesiásticas, mas, sejamos claros e diretos, nenhum ser humano ou instituição teria em si mesmo o poder para conter a manifestação do anticristo, de modo que, ainda que “o que o detém” seja relacionado à Igreja genuína (e, portanto, aos cristãos!), acabamos indo responsabilizar o Espírito Santo por isso!
A Igreja é composta exclusivamente por cristãos genuínos e só existe enquanto eles, habitados pelo Espírito Santo, estiverem nesse mundo: retirar o Espírito Santo (que é o PENHOR DA NOSSA HERANÇA) implica automaticamente no pagamento desse valor penhorado, ou seja, nossa herança que, por padrão, não nos foi prometida para este mundo!
Desse modo, ou isso implicaria em nossa morte imediata ou então…
“"Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." (1 Coríntios 15:51-52)
E o apóstolo Paulo fala mais um pouco sobre esse evento:
“Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois , seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” (1 Tessalonicenses 4:13-18)
E aí, ao invés de ficarmos todos (os cristãos genuínos) contentes, começa uma confusão mais complicada ainda…
Prestem atenção em um “detalhezinho” registrado por Daniel e repetido pelo apóstolo João:
“Então tive desejo de conhecer a verdade a respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro e as suas unhas de bronze; que devorava, fazia em pedaços e pisava aos pés o que sobrava; E também a respeito dos dez chifres que tinha na cabeça, e do outro que subiu, e diante do qual caíram três, isto é, daquele que tinha olhos, e uma boca que falava grandes coisas, e cujo parecer era mais robusto do que o dos seus companheiros. Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra os santos, e prevaleceu contra eles.” (Daniel 7:19-21)
“E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.” (Apocalipse 13:4-7)
Peraê… mas… se os santos foram arrebatados… como esse bicho vai vencê-los? Isso quer dizer que ou a besta irá até o céu para derrotá-los (o que é improvável) ou… eles ainda estarão aqui?!?
“QUANDO” É REALMENTE IMPORTANTE?
Sejamos nós, sejam aqueles que passarem a crer após o arrebatamento, o FATO é que haverão santos por aqui e, pior ainda, destinados a ser derrotados e isso, definitivamente, é uma perspectiva bastante desagradável…
É óbvio que eu A-DO-RA-RIA ser arrebatado agora, neste exato momento!
Dane-se a PL-122, a crise econômica mundial, os terremotos, os vulcões, as pestes… deixemos isso para os incrédulos! Quem mandou não crer em Deus!?
Êpa! Mas, não é bem assim que a banda toca…
Vocês já ouviram as histórias acerca dos primeiros cristãos? Tem noção de que eles eram mortos das maneiras mais grotescas e dolorosas imagináveis?
Para quem não conhece, um trecho de vídeo ilustrando a crueza do martírio imposto a qualquer um que se assumisse como cristão naquela época:
Bastava negar ao Senhor Jesus Cristo para não ter de passar por tanto sofrimento… quantos de nós, modernos, teriam tamanha coragem?
Aliás… o que nós, modernos, temos de melhor que eles para que sejamos arrebatados “para não sofrer”?
Acho sim é que somos muito piores, muito mais fracos, muito mais contaminados, muito mais soberbos… fomos tão adestrados a relativizar as coisas que já encontrei alguém capaz de me dizer que, nesse caso, negar a Cristo pode ser considerado como “uma manobra de estratégia e inteligência para preservar a vida”, pois “Deus não quer que ninguém morra” e “iria entender”…
Não é bem desse jeito que o Senhor Jesus Cristo fala:
“Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 10:32-33)
Porventura, diante do risco de vida, você negaria ao Senhor Jesus Cristo?
Por acaso, se o arrebatamento não ocorrer antes do princípio das dores… você vai se revoltar e deixar de acreditar na Palavra de Deus? Vai fazer “pirraça” e se unir ao anticristo revelado?!
As consequências por tal rebeldia, sem dúvida alguma, seriam piores que a própria morte física…
Desse modo, a questão do “quando” se torna quase irrelevante diante da perseverança, que é o segredo do “como”: como estar entre os arrebatados?
E a resposta é simples: Conhecendo o Senhor Jesus Cristo através de Sua Palavra e, a partir de então, estando pronto para nunca, sob nenhuma circunstância, negá-lO!
CUIDADO!
Conheço muitos cristãos sinceros que atrelam suas pregações ao arrebatamento precoce, sem sofrimento, mas “ante a última trombeta” citada por Paulo em 1 Coríntios 15 e da menção a “nós, os que ficarmos vivos” apresentada por ele em 1 Tessalonicenses 4… não deveríamos nós mesmos considerar e estar preparados para a possibilidade de passarmos por alguma tribulação?
Se o arrebatamento ocorrer antes, é lucro!! Caso contrário… estaremos prontos.
De um jeito ou de outro, sejamos nós ou outros que estejam por aqui para serem derrotados, não podemos deixar de falar a Verdade em momento algum e por causa alguma.
Um bom exemplo disso é quando muitos me criticam por discordar dos procedimentos biométricos que estão sendo implantados já não tão sutilmente: gente boa aparece para me criticar, dizendo que o Senhor proverá…
Porventura a arca caiu do céu nas mãos de Noé ou ele teve que construí-la?
Se registro e sustento minha denúncia é porque tem base na Bíblia para existir: estou, como Noé, tentando preparar algum tipo de abrigo para o dilúvio que se aproxima: precedentes legais com base constitucional não fazem mal a ninguém… quer sejamos nós, quer sejam os “deixados para trás” a utilizá-los!
O DILÚVIO, A PIA E O PRESENTE
vortices_em_ralos_de_pias
Para concluir e explicar a questão da imagem inicial relacionando tudo à água, devemos primeiro lembrar de alguns detalhes do dilúvio, pois a água não atingiu seu ápice de maneira imediata e, mais fácil ainda de constatar através dos corvos e da pomba, demorou muito mais do que quarenta dias para baixar! Veja uma passagem que confirma o que digo:
“E a arca repousou no sétimo mês, no dia dezessete do mês, sobre os montes de Ararate. E foram as águas indo e minguando até ao décimo mês; no décimo mês, no primeiro dia do mês, apareceram os cumes dos montes. E aconteceu que ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela da arca que tinha feito.” (Gênesis 8:4-6)
De modo análogo, a “abertura de torneira” oficial das “águas vivas” mencionadas pelo Senhor Jesus Cristo se deu em Atos 2 e também não chegou ao seu ápice de forma imediata: o cristianismo foi se espalhando pelo mundo apenas no decorrer dos séculos!
Só que agora, a cada dia tudo indica que a tampa desse nosso tanque já foi retirada e não são apenas terremotos e desastres climáticos que apontam isso: o ser humano inventa novas degradações, cada vez mais imundas conforme o tempo passa!
E ao dizer isso não estou falando apenas de aberrações sexuais e crimes hediondos: as próprias leis, que deveriam proteger os justos, agora servem mais à proteção de ímpios e criminosos!
E a única coisa que posso dizer sobre isso é: VAI PIORAR! Conforme as águas forem escoando, a humanidade vai estar cada vez mais acessível à influência maligna… e até isto também foi registrado na Palavra de Deus:
“Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.” (Mateus 24:21-22)
Se agora as dificuldades cotidianas e as tentações já parecem incômodas, espere para ver daqui a um mês… daqui a um ano então!!!
Ninguém sabe a hora exata em que o Senhor retornará, mas podemos ter a certeza de que todas e cada uma das profecias registradas na Bíblia há de se cumprir com perfeição, ou seja, mesmo que Israel seja o ponteiro de Deus para este mundo, há muitas outras engrenagens que precisam estar alinhadas na volta certa antes desse ponteiro marcar a hora exata (sobre esse tema, sugiro “O Termômetro do Fim” e “Verificando o Termômetro do Fim”).
Desse modo, não resta dúvida de que estamos testemunhando alguns eventos característicos do que podemos chamar de “princípio das dores”, pois não há perspectiva profética de que a “pia” dos cristãos voltará a se encher… daqui em diante é só ralo abaixo (ou acima, já que o Espírito Santo sobe…) até que do meio seja completamente retirado…
E isso, conforme Mateus 25:1-13, pode ser a qualquer momento da noite.
Eu sou Teóphilo Noturno, este mundo jaz no maligno e, diante disso, pergunto: vocês estão prontos?
LINK CURTO PARA ESTA POSTAGEM
http://bit.ly/arrebatando

Related Posts with Thumbnails