14 de jun de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
   Sou um relapso procrastinador e tenho algo tão importante para escrever… que estou com medo!
   Pelos mais diversos motivos sinto que chegou a hora de transformar as coisas que vi e vivi em livro, mas estou sem noção de como fazer isso: estilo documentário ou ficção? Material multimídia adicional em um DVD? Preparar palestras, mesmo sabendo que deverão ocorrer em hotéis (já que, por buscar a pureza bíblica, acabo me afastando das denominações e, consequentemente, dos templos…)?
   Além das atribulações cotidianas, tudo isso tem me desconcentrado e afastado de escrever. Eis o motivo de minha ausência!
   Porém não é pelo ausência de novas publicações que o trabalho em defesa da fé genuína vai ficar parado: esses dias recebi duas interessantes mensagens – uma de um “após tolo” e outra de um jovem – que decidi apresentá-las a meus leitores, de modo que estes possam constatar por si próprios o estado de confusão em que a estrutura eclesiástica moderna se encontra, assim como se surpreender com… não vou antecipar.
   Acompanhem as conversas e descubram!

   Estava eu em meus dilemas quando aterrissa, sem aviso prévio, um e-mail de um tal apóstolo Ricardo com o título “O Que É O Reino Mesmo?” e o seguinte conteúdo (veio tudo num parágrafo único e eu tentei formatar e pontuar para uma melhor compreensão):
   Olá amado Teóphilo,
   Não sou ninguém que possa, de fato, ter um "profundo" conhecimento sobre as questões que você questiona ou critica no que diz respeito a Batalha Espiritual, Cura Interior e demais temas aos quais tem sido amplamente abordados nos últimos anos no meio evangélico, até porque quando nos aprofundamos sem entendimento começa a cheirar enxofre, mas entendo que quando a palavra de Deus diz em II Co 3 6 o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica."…
   A letra que mata, querido, é a letra sem direção do Espírito Santo, é a pregação vazia sem o principal elemento e essência que é a revelação da leitura da palavra ou seja o mistério que só Jesus Cristo e o Pai podem trazer a mim e a você não para pregarmos com eloquência, mas com amor e autoridade por experiência pessoal com Deus.
   E quando Paulo aqui diz que o Espírito vivifica, esta ensinando-nos a buscar do Senhor o entendimento na leitura pelo Espírito Santo, isto é, todos nós devemos parar de contextualizar a palavra e buscar no Senhor a comunhão e dependência necessária para que haja um grande avivamento no meio do Corpo de Cristo, que por falta de AMOR para com todos os que foram chamados como você, eu e a Ap. Ana Mendez, fomos arregimentados no maior Exército do mundo, não para expor nossas críticas ao trabalho de outros, mas para estabelecer por Fé e trabalho o Reino que já esta dentro de nós…
   Quem nos chamou não nos obrigou mas em amor declarou em Hebreus 5-4: Ora, ninguém toma para si esta honra, senão quando é chamado por Deus, como o foi Arão. Assim também Cristo não se glorificou a si mesmo, para se fazer sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, hoje te gerei.
   Amado Teóphilo, sou servo do Senhor como você também o é, mas creio que a obra a que o Senhor chamou a senhora Ana Mendez não tem relação com heresias ou mentiras, pois o Senhor nos chamou para o Reino, não é???
   E o que é o Reino??
   Paulo declarou em Romanos 14-17 aos que queriam “comer demais, beber demais”…  porque o reino de Deus não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no Espírito Santo…
   Amado vamos viver em justiça, paz e alegria de servirmos ao Rei dos reis e Senhor dos Senhores… JESUS!!!!!
   Seu amigo em Cristo Jesus,
   Apóstolo Ricardo.
   Respirei fundo e, tentando ser o mais educado e didático possível, respondi:
   Que o Senhor Deus seja benigno e complacente para todos aqueles que O amam!
   Li atentamente suas palavras e sinceramente não consegui compreender a explicação acerca do reino e do amor que está tentando me mostrar, assim como me surpreendi pela qualificação de “críticas” em minha análise de fatos versus a Palavra de Deus.
   Posso estar compreendendo mal suas palavras, mas antes de prosseguir nesse diálogo, gostaria imensamente de pedir que leia dois de meus textos, que considero que devam figurar dentre os mais importantes que eu já tenha escrito: No primeiro busquei uma definição com estrita base bíblica acerca do que seja o verdadeiro amor cristão:
   No segundo falo acerca de julgamento, coisa que muitos cristãos não compreendem e classificam como críticas:
   Após tal leitura, gostaria ainda que, se não for muito esforço, pudesse ler a questão que levanto acerca de muitos que se propõem a fazer a "obra" de Deus de forma fraudulosa:
   Agora sim, após tomar conhecimento de minha posição fundamentada estritamente na Bíblia, estou disposto a receber nova argumentação, com base mais sólida que os trechos de passagem que enviou, de modo que eu seja levado a compreender como uma mulher que fala de “mortos atuando a partir do reino dos céus” possa estar falando de um mesmo reino que o do Deus que inspirou os escritores da Bíblia e, por acaso, exatamente o reino sobre o qual tenho escrito durante já algum tempo.
   Do mesmo modo, ao receber sua mensagem, busquei por seu nome e encontrei a foto que segue em anexo (aqui devidamente substituída pela ilustração inicial do “Capitão Guapo”, disfarce do atrapalhado vilão dos desenhos “Falsão”, apresentado ao lado)… é mesmo você?
Tenho para mim que, após Paulo, o abortivo, não tenham sobrado oportunidades para que ninguém mais assuma o título de apóstolo sem verdadeiramente, no mínimo, saber manejar com extrema habilidade a Palavra da Verdade, já que fazer adições à ela é coisa vedada pelo próprio Senhor Deus…
   Dessa forma, informo que este e-mail está sendo enviado com algumas cópias ocultas para alguns cristãos das mais diversas denominações, mas que, antes de tudo, tem demonstrado o verdadeiro interesse na genuína integridade da Palavra de Deus (pois é somente a compreensão e obediência a ela que pode nos tornar irmãos), de modo que estes também possam testemunhar e julgar tanto o meu quanto o seu procedimento.
   Atenciosamente despeço-me e rogo que não me veja como um inimigo, mas compreenda que antes de ser amigo de qualquer um, busco ser servo fiel do Senhor Jesus Cristo.
   Como não houve resposta até hoje, decidi publicar apenas para que fique registrado o nível miserável de conhecimento bíblico de um “cristão” e questionar: quem deu o título de apóstolo a uma pessoa como essa?!

   O outro e-mail também me atingiu sem buzinar antes:
   Olá Teophilo,
   Desculpa não enviar uma pergunta tão “concreta” ou com diversos textos bíblicos, mas te peço paciência e que, se possível, não venha a publicar esse e-mail no seu site, mas que possa me respondê-lo.
   Tenho 19 anos e conheci seu site faz 2 semanas: sempre achei que alguns ensinamentos e práticas nas igrejas (inclusive na minha, que é a Igreja Batista) estivessem com alguns ensinamentos humanos e não da parte de Deus e sua palavra.
   A questão é: desde que entrei na igreja (há 3 anos) recebi alguns desses ensinos equivocados e que, no início, eu até discordava e falava para meus lideres, mas depois por uma questão de eu me achar “rebelde”, parei.
   Hoje vejo minha igreja indo em direção a esses movimentos pentecostais, que o culto tem que ser “avivado”, com o “fogo”, muita gente falando em línguas estranhas alto, som alto, algumas profecias… e ainda temos como base para um possível avivamento a palavra de 2 Crônicas 7.14 que, como eu entendi através de um dos seus textos, era para o povo de Israel e só!
   E que possivelmente não tem mais jeito para avivamentos e coisas do tipo, se não existir um arrependimento genuíno e individual de cada cristão.
   E também tenho pensado muito em pregações apelativas aos sentimentos das pessoas, e que sempre tem uma musica para emocionar as pessoas e leva-las a uma possível conversão e arrependimento, mas isso não posso julgar, porque só Deus sabe quem realmente aceitou jesus e entendeu realmente o que seja isso.
   A questão principal é: não sei muito o que fazer, tenho para mim que tudo o que está em seus textos está correto e ainda o principal, possuem base bíblica, mas não sei como agir!
   Já pensei em mostrar seu site para o meu pastor e discipulador para ver se algo muda, mas estou meio confuso e parece que não posso confiar em mais ninguém (nem em você)!
   E para se honesto não possuo um conhecimento bíblico tão grande assim, e até eu conseguir uma boa base, talvez seja tarde demais, mas saiba que me senti muuuuuito bem direcionado a ler mais a palavra e entende-lá no seu real contexto através de seu site… só quero fazer a vontade de Deus!
   Espero que você possa me ajudar.
   Espero muito que você me responda.
   Abraços.
   Quem conhece um pouco de Teóphilo sabe que eu nunca deixaria uma oportunidade como essa passar em branco:
   Vou bater muito pesado contigo, meu jovem! Te prepara!!!!
   Tem gente que pode pensar que é bobeira, mas não se escreve Jesus com letra minúscula!!!
   Aiaiai! Isso é meio que um desleixo e falta de respeito para com o Senhor Jesus Cristo!
   Preste atenção quando for tocar de novo no nome sobre todos os nomes!!!
   Pronto, meu jovem… dou graças a Deus por sua vida e seu zelo, pois essa foi a única coisa errada que eu achei em toda a extensão de sua mensagem e, sinceramente, não é motivo para condená-lo.
   Suas palavras mostram que o Espírito Santo está atuando em sua vida e que suas aflições, infelizmente, são aquelas que se abatem sobre todos os cristãos genuínos que vivem em nossos dias.
   Em sua humildade e temor juvenis você demonstrou muito mais sabedoria que muitos “líderes” desse mundo “gospel” de maia pataca: essa semana mesmo me apareceu um “apóstolo” que admitiu não conhecer a Bíblia e, para piorar, usava o termo “reino de Deus” como um sinônimo para “mercado de venda”… sério!!
   Compreendo, de verdade, sua angústia, pois vim de berço batista e sofri quase que exatamente as mesmas coisas que você. Comigo o apodrecimento da empresa eclesiástica se deu através de Rick Warren e seu pragmatismo e, caso tenha visto apenas meu blog, saiba que está quase tudo relatado em meu site principal:
   tentativa de fazer algo - http://teophilo.info/diversos/desilusao.htm
   Sei que há alguns, como o irmão José “Atalaia” Nicodemos, lutando contra os erros de todo um sistema denominacional específico, mas sei que tal ativismo exige mais adrenalina e sangue frio para confrontações pessoais do que eu possuo. Não quero te impedir e nem te desencorajar de tentar, mas muito provavelmente seu destino, caso permaneça fiel à Palavra, pode ser bastante parecido com o meu: ser rotulado de rebelde, soberbo… até mesmo de anticristo!
   Me perdoe pela intimidade, mas vou te chamar de meu querido, pois as coisas que te preocupam são comuns às minhas: meu querido irmão, faz muito bem ao não confiar em mim! Confie apenas na Palavra!!! É ela que pode te guiar nesses dias terríveis pelos quais passamos e, segundo ela mesma, ainda vão piorar!
   Sempre utilize-a como lastro para tudo o que for praticar, medite nela de dia e de noite e não se zangue muito consigo mesmo quando errar: somos falhos e a salvação vem pela graça… não pelas obras! Maldito o homem que confia na força de seu próprio braço…
   Uma experiência própria: quando erro sinto peso e a tristeza incomuns em meu coração e, sem dúvida, isso é ação do Espírito Santo. Nesses momentos revejo meus passos e busco pelo que me arrepender, consertar… veja que não estou falando de coisas que podem ocorrer no cotidiano, que é a forma mais genuína e espontânea de dar seu verdadeiro testemunho!
   Ah, meu jovem, gostaria de aconselhá-lo por muito mais tempo e para muitas outras coisas, mas nesse momento o tempo é curto para mim. Seu pedido sobre “não publicar” suas palavras até mesmo me entristece, pois poucos são os que demonstram tais qualidades… espero que realmente seja este que a mim se apresenta: um jovem de 19 anos começando a sofrer pela verdadeira batalha espiritual - a defesa do evangelho genuíno.
   Estarei orando por você e vou enviar esta resposta como cópia oculta para alguns outros irmãos em quem confio, de modo que também possam incluí-lo em suas orações. Saiba que são palavras como as suas que fazem esse meu ministério valer 100% a pena.
   Vou te dar um conselho que não é meu, mas que se aplica com perfeição a esse seu momento:
   “Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” (2 Timóteo 4:1-5)
   É isso.
   Aceita meu fraternal abraço e que o Senhor nosso Deus esteja sempre te guardando e abençoando, principalmente com a sabedoria e o discernimento necessários a esta batalha na qual está se engajando, de modo que permaneça nela até quando for necessário. Concluo com as palavras dedicadas à Igreja em Esmirna:
   “Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” (Apocalipse 2:10)

   Não sei se é de tanto testemunhar o nível de analfabíblicos entre os “cristãos” ou a depravação generalizada que consome o resto da humanidade, mas é um e-mail como o desse garoto que me deixa com lágrimas nos olhos. Acho que estou amolecendo…
   E aos leitores (que não chamo diretamente de irmãos, pois descobri que há muitos que não o são lendo…) fica a pergunta: Quem demonstrou maior sabedoria? O apóstolo que quis me aconselhar ou o jovem com sua humilde questão?

Related Posts with Thumbnails