20 de mai de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.

   Sem dúvida: na internet, quanto maior a quantidade e a regularidade do material produzido, maior a probabilidade de que o interesse do público seja atraído e, em consequência, seja aumentado o número de pessoas acessando e, eventualmente, passando a acompanhar suas publicações.
   Isso é bom?
   Para quem se importa apenas com números e possibilidades de lucro, sem dúvida!
   Para um cristão centrado apenas na Palavra de Deus… há considerações a serem feitas.
   A verdadeira criatividade cristã não ressalta e nem cultua a mente do próprio autor, antes inventa novas formas de repetir a velha mensagem da cruz: estamos com falta da criatividade inspirada pelo Espírito Santo para conhecer e aplicar corretamente a Palavra de Deus, pois a criatividade que abunda é usada principalmente para inventar macaquices, criar novos ídolos, rejudaizar e, sempre que possível, tirar dinheiro dos trouxas.
   O clima outonal tem me permitido navegar pela blogosfera, especialmente a “cristã”… e não tenho visto nada muito impressionante: alguém “grita” alguma coisa minimamente interessante e, de imediato, aquele conteúdo se reproduz (sem alteração e nem mesmo a adição de algum comentário que faça valer a publicação!) por dezenas, senão centenas de blogs pretensamente evangélicos.
   É só aparecer alguém falando mais bonitinho que logo uma legião de gente passa a transcrever seus textos como se aquilo fosse a mais profunda, inquestionável e sábia verdade. Como exemplo vivo e recente dessa miséria criativa posso citar as centenas de transcrições que encontrei sobre as heresias modernosas e bem intencionadas pregadas pelo Ricardo Gondim que, no final das contas, não passam de lixo humanista gospel.
   Imaginem se, de repente, eu não fosse o chato do Teóphilo e algum desses mega-pastores decidisse que gostaria de colaborar com textos para o meu blog?! Iria ser uma inundação de visitas diárias… se bobeasse seria necessária até a troca do servidor de hospedagem, mas… para que? Para pedir o “trízimo”? Para falar sobre o “almômetro” ou vender “óleo ungido”?! Ou, segundo as ideias do homem citado acima, afirmar que Deus não é Senhor presciente de toda a história do universo e que, sem poder, padece vítima das catástrofes que ocorrem?
   A questão é: de que adianta o movimento se ele é vazio de conhecimento e passível de manipulação?! De que adiantaria ter milhares de pessoas “na minha mão” se, num mesmo dia, eu fosse capaz de publicar matérias contrárias e favoráveis a um mesmo assunto?!
   Sem sombra de dúvida, se agisse dessa forma minha consciência gritaria e eu nunca poderia me considerar como um instrumento de Deus… seria apenas mais um canalha apenas criando confusão nessa apóstata e enganadora “blogosfera cristã”.
   A propósito, é com esse tipo de “reputação virtual” que o homem citado em minha postagem anterior consegue “conquistar” suas ovelhas…
   Ao contrário de um jornal ou de uma revista secular, não se pode sair por aí “contratando” colaboradores a esmo, publicando material que contenha teologia espúria ou sutilezas satânicas… e muito menos “chupando” conteúdo de outros autores, muitas vezes sem nem mesmo registrar os devidos créditos.
   Há que se tomar cuidado com o que é publicado, assim como são muito importantes as respostas aos comentários pertinentes, às questões sinceras… mesmo que isso, às vezes, pareça não atingir o resultado perfeito: um cristão verdadeiro não pode manipular os eventos de modo a sempre “sair por cima”, pois mais importa o testemunho legítimo do que a amizade falsa e a paz de conveniências!
   Sem dúvida esse tipo de zelo parece loucura para quem não está verdadeiramente envolvido na legítima batalha espiritual que se revela em nossos dias (nunca aquela baboseira que Mastral e Itioka pregam!), mas um cristão autêntico não pode e nem deve agir de maneira diferente.
   É justamente por conta desse zelo que visito outros blogs: na esperança de ser edificado, exortado… ensinado! E, é óbvio, há autores que, pelo conteúdo apresentado, acabam chamando minha atenção.
   Um desses blogs que destaco é o “Doa a Quem Doer”, cujo autor, Georges, sempre apresenta conteúdo de sua própria autoria e aborda temas interessantes com uma linguagem despretensiosa, bem-humorada e interessante. Todas essas qualidades se mantiveram com a passagem do tempo (e isso tem quase dois anos!) e, sabendo (e sentindo) que seus textos também irão colaborar para a edificação do genuíno corpo de Cristo nessa terra, decidi convidá-lo para também ser um colaborador aqui no “Este Mundo Jaz no Maligno”.
   Melhor do que minhas palavras, vou deixar que ele mesmo se apresente:

   “Meu nome completo é Georges Edward Alves.
   O primeiro nome é homenagem que meu pai fez ao primeiro ministro francês, o Pompidou. O nome do meio é também o nome do meio do meu pai. A combinação ficou meio estranha, mas eu gosto.
   Nasci no Rio de Janeiro, fui criado em Belo Horizonte e, lá, recebi o Senhor Jesus como Senhor e Salvador.
   Fui batizado aos 15 anos de idade, aprendi as “primeiras letras” da Palavra, me firmei no Caminho. Trabalhei com música, evangelismo e publicações para o crescimento do Reino e da Obra.
   Me formei em Publicidade, me casei e, com o advento e popularização da internet, vi uma oportunidade de usar a tecnologia para dividir um pouco do que tenho aprendido nesses anos de caminhada.
   Hoje vivo em Brasília; amanhã, não sei; mas depois de amanhã, na Nova Jerusalém.”

   Não posso negar que estou entusiasmado e curioso para saber os textos que ele selecionará para publicar por aqui, aliás, os leitores já perceberam que estou tentando regularizar os dias de publicação? Não?! Então permitam-me esclarecer:
   Aqui tudo se faz por amor ao evangelho e nem mesmo eu sou obrigado a nada, quanto mais os colaboradores! Ainda assim, o irmão Adail envia seus textos da série sobre heresias todas as terças e quintas, enquanto o Georges disse que pode colaborar todos os domingos.
   Tenho de admitir que o maior problema para que essa regularidade seja mantida… sou eu, mas sempre que não estiver impossibilitado (por conta dos “bicos” que arrumo) me esforçarei ao máximo para que tudo funcione dentro da mais perfeita ordem e na mais santa paz!
   Outra “revelação” que muitos podem não ter percebido é que, pela extensão rotineira dos textos aqui apresentados e a eventual necessidade de “digestão” dos mesmos, evito publicar mais de um texto por dia, permitindo (e esperando) que dessa forma haja tempo para que sejam formuladas questões e comentários.
   Por último, uma observação: vocês verificam os links que insiro no desenvolvimento das postagens?
   São palavras e frases que aparecem na cor azul e, geralmente, faço isso na intenção de permitir um maior esclarecimento do leitor em relação ao assunto através da citação de postagens próprias anteriores ou material pertinente encontrado em outros sites e blogs, sem “reservas de mercado”!
   Agindo dessa forma, permaneço pseudônimo (nunca anônimo!), permaneço fiel à Palavra e conclamando os irmãos a seguir os conselhos do apóstolo Pedro:
   “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá. A ele seja a glória e o poderio para todo o sempre. Amém." (1 Pedro 5:6-11)

Related Posts with Thumbnails