22 de abr de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
Me perdoem os leitores, mas minha paciência tem limite: há muito tempo venho comprovando biblicamente que o VERDADEIRO CRISTÃO tem o DEVER DE JULGAR TUDO aquilo que lhe é apresentado e já nem sei mais em quantos textos tirei a prova real de tal obrigação!
Ainda assim, de vez em quando aparece algum “ser iluminado” com máximas semelhantes a essa:
Deixo para reflexão a recomendação do divino Mestre e "único Guia, Cristo Jesus" no Sermão do Monte: “Não julgueis…”
E o pior que não são apenas espíritas, católicos e membros de seitas que dizem isso! Aparecem centenas, senão milhares de evangélicos professando a mesma ladainha biblicamente incoerente!
Esta postagem foi preparada na intenção de esclarecer DEFINITIVAMENTE que esse procedimento, senão estúpido, é completamente maligno e quem age dessa forma, sem julgar, corre o risco de a qualquer momento descobrir que está consumindo coisas muito estranhas e ainda assim, “sábia e amorosamente”, sorrindo para isso!
A estes, peço ardorosamente que não deixem de cumprir o desafio proposto no final da postagem!
JULGAMENTO
Em primeiro lugar vamos esclarecer muito bem as coisas, afinal, o que o Senhor Jesus Cristo disse? Vejamos:
“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.” (Mateus 7:1-2)
Para qualquer um que tenha aprendido a ler de verdade, fica claro que há algo além de um superficial “não julgueis” - Há uma clara especificação sobre uma medida de julgamento, que é o verdadeiro núcleo da passagem: aquele que se dispuser a julgar tem de estar disposto a ser julgado sob as mesmíssimas condições de seus réus!
Me parece que todas as pessoas do mundo morrem de medo dessa tal “medida”, como se fosse um incógnita insolúvel e mortal, diante da qual absolutamente ninguém poderia passar e sobreviver… e cada vez mais os cristãos têm caído nessa conversa mole para boi dormir no decorrer dos séculos!
Vamos esclarecer de uma vez por todas, qual a única medida válida para julgamento. Com a palavra, o Senhor Jesus Cristo:
“Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.” (João 7:24)
Para qualquer um que conheça pelo menos um pouquinho do evangelho, essa passagem pode ser uma pista de que “reta justiça” seja um sinônimo para “Palavra de Deus”, mas deixemos que ela própria se apresente:
“A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça.” (Salmos 119:172)
Desejando ser um pouco mais esclarecedor, acho justo adicionar:
“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” (Hebreus 4:12)
Lembrando que “discernir” é um sinônimo válido para “julgar”… ainda resta alguma dúvida?
Logo, qual o único comportamento aceitável para um cristão em relação à Palavra de Deus? Deixemos Davi refrescar as memórias:
“Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Salmos 119:11)
“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Salmos 1:1-2)
Se você se diz “cristão” e não conhece a Palavra de Deus, sinto informá-lo que não passa de um arremedo, um “wannabe”: alguém que sabe da existência de um caminho, mas que (por completa falta de vontade e esforço) se contenta em passar pela porta larga!
Pode ser chocante para alguns, mas a Bíblia está, sim, recheada de pré-conceitos que de forma alguma são passíveis de sofrer alteração através de julgamento ou conhecimento humano… por mais “boazinhas” que suas intenções possam ser!
Logo, se você é cristão e não está disposto a ser julgado sob parâmetros exclusivamente bíblicos… você NÃO É cristão! Simples assim!
Então, voltando ao que foi verdadeiramente dito no sermão do monte: para que você possa não mais temer a “medida de julgamento”, deve, além de conhecer a Palavra, pô-la em prática cotidianamente! Viver de modo que seu testemunho seja sua própria vida e não aquela frase ridícula que muitos dizem como se fosse um atestado de integridade moral: “Sou crente da igreja tal…!!”
(Particularmente, depois de um pintor que só fez desgraça na minha obra e da perturbação trazida por uma igreja que se instalou ao lado da minha casa, prefiro até evitar contratar ou alugar coisas para este tipo de “cristãos”…)
Portanto, se você é um dos (pouquíssimos na atualidade) que busca compreender e praticar a Palavra, está apto a manusear a temida “medida de julgamento”:
“Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal." (Hebreus 5:13-14)
“Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais seus companheiros. Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade); Aprovando o que é agradável ao Senhor. E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes CONDENAI-AS.” (Efésios 5:6-11)
PROCEDIMENTOS APLICÁVEIS POR CRISTÃOS
Para os que andam sendo influenciados:
“Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes. Vigiai justamente e não pequeis; porque alguns ainda não têm o conhecimento de Deus; digo-o para vergonha vossa.” (1 Coríntios 15:33-34)
Para os que querem “inovar”:
“Não removas os antigos limites que teus pais fizeram.” (Provérbios 22:28)
“Não erreis, meus amados irmãos. Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.” (Tiago 1:16-17)
Para os que estão em dúvida acerca de qualquer assunto:
“Examinai tudo. Retende o bem. ABSTENDE-VOS de TODA a APARÊNCIA do mal.” (1 Tessalonicenses 5:21-22)
Entendendo-se que “aparência do mal” seja termo aplicado a qualquer coisa que saia do escopo, acrescente ou contrarie a Bíblia.
EXEMPLOS DE VEREDITOS APLICADOS PELO PRÓPRIO DEUS
Gerais e irrevogáveis, ou seja, que serão aplicados pelo próprio Senhor Deus e que nos deixa apenas a opção de alertar a seu respeito, de modo que serão condenados apenas aqueles que os ignorarem voluntaria ou involuntariamente:
“Quem crê nele não é condenado; mas QUEM NÃO CRÊ JÁ ESTÁ CONDENADO, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” (João 3:18)
“Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos CONDENADOS COM O MUNDO.” (1 Coríntios 11:32)
“Sabendo isto, que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas, Para os devassos, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina.” (1 Timóteo 1:9-10)
“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10)
“E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” (Apocalipse 14:9-11)
“Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Apocalipse 21:8)
“Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.” (Apocalipse 22:15)
EXEMPLOS DE VEREDITOS APLICÁVEIS POR CRISTÃOS
Ao contrário do que muitos querem insinuar e dizem temer por conta dos relatos históricos, um cristão genuíno NUNCA encontrará respaldo bíblico para torturar, apedrejar, queimar em fogueira e nem mesmo constranger nenhuma pessoa! Qualquer um que pratique algum desses ou semelhantes atos atesta que ao mundo que NÃO ESTÁ DE ACORDO com os preceitos bíblicos, ou seja, nem mesmo merece ser chamado de cristão!
Infelizmente a escória que exerceu tais práticas acabou imprimindo através dos séculos (por exemplo: inquisição) uma marca vergonhosa, indelével e indissociável, em nome de um “cristianismo” imaginário e pervertido, que servia muito mais a satanás que à salvação.
A Bíblia não deixa dúvidas sobre a doutrina da separação:
“Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem; Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. TIRAI, POIS, DENTRE VÓS A ESSE INÍQUO.” (1 Coríntios 5:9-13)
“Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens. Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, EVITA-O, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado.” (Tito 3:8-11)
Fica gritante que acoitar deturpações e heresias NÃO É nem nunca foi uma recomendação bíblica.
Notem que (apesar do significado original de “pecado” estar relacionado a “errar o alvo”) um erro que leva milhões a praticar enganos que os afaste da Verdade transcende o simples conceito de pecado individual: sobre isso sugiro enfaticamente a leitura de “criminosos”, pois o título já qualifica aqueles que procedem dessa forma!
CONCLUSÃO
Há um excelente comentário complementar publicado pelo “atalaia” na postagem intitulada “Resposta Não Solicitada”, mas esta aqui ficará sendo a postagem de referência, a ser indicada a partir de agora para todos que vierem com o estúpido argumento de “não julgueis”, pois a qualquer um que se utilize dele só cabem duas possíveis qualificações:
1. Imbecil preguiçoso: aquele que, se dizendo cristão, não se deu ao trabalho de ler e compreender claramente a Bíblia, especialmente um texto que nem mesmo é extenso ou complicado (Mateus 7:1-2, transcrito no início desta postagem).
Elemento inútil que, cheio de boas intenções, é manipulado para, em nome de coisas como “tolerância” e de “não espantar novos convertidos” chega ao ponto de ter medo de chamar pecado de pecado!
Para estes da atual Laodicéia que ficam se enganando na esperança de uma nova reforma e que, na verdade, não são frios nem quentes a Bíblia já mostra o destino:
“Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.” (Apocalipse 3:15-16)
2. Manipulador satânico: o mais terrível, pois mesmo tendo plena consciência de estar defendendo algum absurdo aberrantemente anticristão, malignamente apela para o “não julgueis” fora de contexto, esperando que ao citar isso receba uma manifestação irracional de amor, tolerância e aceitação irrestrita.
Geralmente são personagens de alguma expressividade pública (provavelmente líderes religiosos) que se apresentam sempre muito inocentes e bem intencionados, cujas palavras doces (faladas ou lindamente cantadas) escondem habilmente o veneno de suas deturpações, manipulações e heresias contra a Palavra de Deus: são os criadores de “imbecis preguiçosos”, pois a maior parte da população nem mesmo cogita questionar o que é dito por estes, engolindo tudo o que lhes é oferecido em nome de bênçãos, da paz, do futuro da humanidade ou, até mesmo, de “deus”…
Sobre estes a Palavra de Deus não poupou recomendações, dentre as quais citarei apenas três:
“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2 Timóteo 4:3-4)
“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mateus 7:15)
“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.” (2 Coríntios 11:13-15)
Pronto! Acho que ficou bem definida a questão da OBRIGATORIEDADE que o cristão tem de julgar.
Ah! Ia esquecendo do desafio que prometi…
A partir de agora vou me permitir o direito de agir no melhor (ou pior) estilo da brincadeira infantil da “vaca amarela”: os próximos que vierem a mim com o argumento “não julgueis” poderão continuar “não julgando”,  mas antes, para provar que eles próprios não julgam, deverão ir (SEM JULGAR!) a qualquer lugar comer fezes… e lamber os dedos!
(…e, aos que reclamarem ou se revoltarem com o brinde, cuidado, pois já estarão me julgando!)
E que o Senhor Deus proteja, abençoe com sabedoria e discernimento e fortaleça àquelas pessoas inconvenientes e desagradáveis que teimarem em continuar julgando o engano, classificando-o como tal e, com base nisso, pregando a Verdade a tempo e fora de tempo!
LINK CURTO PARA ESTA POSTAGEM
http://bit.ly/veredito

Related Posts with Thumbnails