24 de mar de 2011

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
jl_imagine
   Voltei a escutar rádio.
   Depois de muito tempo sem ouvir rádios, encontrei algumas on-line e pude até selecionar o estilo musical preferido a ser encontrado nas estações e, não se assustem, nada desse lixo gospel atual figura entre meus favoritos.
   A música “gospel” deveria ser sacra, ou seja, sagrada: algo que promova respeitosa reverência ao Senhor Deus, cujas letras estivessem de acordo com a Bíblia… músicas de conteúdo totalmente distinto das seculares e ainda mais das profanas.
   E aí me deparo com uma cantora famosa confundindo intercessão com oração e, para piorar, ordenando ao Espírito Santo que ore por ela… isso sem fazer muita força! Se for prestar atenção, é daí para pior!
   A questão é que decidi ouvir rádios seculares mesmo, mas sempre com o “desconfiômetro” bem ligado, pois se as cristãs já não sabem o que é sagrado, nestas é comum a mistura entre o secular e o profano de maneira indistinta.
   Então, numa madrugada em que o sono me fugia dadas as gravíssimas preocupações financeiras que se apresentam, começou a tocar a famosíssima canção de John Lennon, Imagine… pela primeira vez na vida prestei atenção a toda a malignidade diabólica que se revela escancaradamente nessa letra sórdida, emoldurada por uma belíssima melodia que fica na cabeça de qualquer um que possa tê-la ouvido.
   Não sei se alguém já fez uma análise detalhada desse hino à Nova Ordem Mundial, mas pesquisei e não encontrei nada específico. Só por isso decidi apresentar esta análise sobre o que o famosíssimo servo de satanás John Lennon já pregava desde 1971.

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today
Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace
You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day you'll join us
And the world will be as one
Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world
You may say, I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope some day you'll join us
And the world will live as one

Imagine não existir paraíso
É fácil se você tentar
Nenhum inferno abaixo de nós
Acima de nós apenas o céu
Imagine todas as pessoas
Vivendo para o hoje
Imagine não existir países
Não é difícil de fazê-lo
Nada pelo que matar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz
Você pode dizer que sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Espero que um dia você se junte a nós
E o mundo será como um só
Imagine não existir posses
Me pergunto se você consegue
Sem necessidade de ganância ou fome
Uma irmandade de homens
Imagine todas as pessoas
Compartilhando todo o mundo
Você pode dizer que sou um sonhador
Mas eu não sou o único
Espero que um dia você se junte a nós
E o mundo será como um só
   Primeira Estrofe
   A premissa da música, diante da Palavra de Deus, já é absurda: imagine there’s no heaven (imagine que não existe o paraíso)!!
   Ora, a não existência de um paraíso implica diretamente na não existência do próprio Deus!
   Usando as versões Almeida Corrigida e Fiel / King James, vejamos o que o Senhor Jesus Cristo tem a dizer sobre a localização de nosso Pai
   “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus.” / “Be ye therefore perfect, even as your Father which is in heaven is perfect.” (Mateus 5:48)
   Não é apenas nessa passagem, mas em muitas outras o Senhor Jesus Cristo menciona repetitivamente que “O Pai ESTÁ NOS CÉUS”, ou seja, “heavens”.
   Logo, se não existir “heaven”, Jesus estaria mentindo e, consequentemente, também não existiria pai algum… e essa afirmação tão “singela” é apenas a premissa de toda a canção!
   O garoto de Liverpool afirma que, se você tentar, é fácil defenestrar Deus de sua vida e, ainda na primeira estrofe, acrescenta um dos argumentos preferidos pelo próprio satanás: “não existe inferno”!!
   Um detalhe importante acerca do discernimento apresentado por este servo de satanás é a diferenciação que aplica entre a veemente negação de “heaven” e a tácita aceitação do “sky” acima de nós… ele sabe muito bem distinguir o espiritual do material.
   Dessa forma, quando ele menciona “viver para o hoje” está querendo indicar um caminho de hedonismo que justificaria quaisquer práticas em nome da “satisfação agora”, bandeira levantada, por exemplo, por muitos ativistas do movimento homossexual que, não crendo no vindouro juízo prometido na Bíblia, concretiza suas concupiscências como se não houvesse amanhã.
   Até aqui temos uma análise clara do que foi dito apenas na primeira estrofe…
   Segunda Estrofe
   A segunda estrofe nem chega a ser tão terrível, pois verdadeiramente o conceito de “país” não é algo tão útil e muito menos vai permanecer para sempre, conforme a própria Palavra de Deus:
   “E o SENHOR dos Exércitos dará neste monte a todos os povos uma festa com animais gordos, uma festa de vinhos velhos, com tutanos gordos, e com vinhos velhos, bem purificados. E destruirá neste monte a face da cobertura, com que todos os povos andam cobertos, e o véu com que todas as nações se cobrem.” (Isaías 25:6-7)
   Mas não deixem de perceber que quem destruirá o véu que cobre as nações é o próprio Senhor Deus! Isso não será consequência das bem intencionadas correntes, humanas, pela paz e pelo fim das guerras… a pretensão humana de tomar o controle e antecipar alguns eventos acaba sendo apenas uma forma “bem intencionada” de trilhar exatamente o mesmo caminho da perdição que conduz a um único inferno!
   Nessa segunda parte também há menção ao “fim das religiões”, o que alguns podem até considerar coisa revolucionária… mas se pensam dessa forma é porque não conhecem a Bíblia que, milhares de anos antes de John Lennon, já registrava a inutilidade de tantas religiões:
   “Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” (Tiago 1:26-27)
   Para que tantas religiões e, no caso dos protestantes, para que tantas denominações?!
   No caso da pluralidade religiosa posso afirmar que é produto direto da astúcia de satanás. Já no caso denominacional… temos aí, em grande parte, a revelação da simples e suja ganância humana mesmo!
   De um jeito ou de outro temos aqui uma prova genial de que satanás (aproveitando a confusão do ser humano) cria um problema (a pluralidade religiosa), coloca a culpa em Deus (no decorrer dos séculos) e depois arranja um possesso (nesse caso, John Lennon) para apresentar a solução como se fosse uma ideia revolucionária e genial, capaz de trazer a “paz” ao mundo!
   Terceira Estrofe
   E aí vem o refrão, mas, como ele significa o “clímax” e se repete, vou deixa-lo para o final. Vamos compreender que essa terceira estrofe apresenta pura e simplesmente uma sociedade “perfeita” que transcende até mesmo a essência do conceito socialista / comunista.
   Eu, particularmente, gosto muito do relato sobre uma suposta experiência, posta em prática pelo pastor Adrian Pierce Rogers, mas (ao me aprofundar nesse tema) acabei descobrindo que há controvérsias, inclusive achei uma refutação mais ou menos pertinente em defesa do socialismo… nada que tenha me convencido a vestir vermelho (da mesma forma que não visto nenhuma outra “camisa” além da busca pela Verdade através da Bíblia).
   De qualquer forma, John Lennon extrapola todos esses conceitos e acaba com as posses, de modo que toda a humanidade tenha acesso a tudo e seja tratada de forma milimetricamente igual… será que a Bíblia está de acordo com esse conceito?!
   “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.” (Mateus 6:19-21)
   “Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.” (Mateus 16:27)
   “E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem.” (Apocalipse 14:13)
   Compreendam que não estou falando sobre a salvação, mas quando o vindouro e perfeito reino de Deus for estabelecido por Ele (e não pela humanidade!), os galardões serão (sem a menos sombra de dúvida) distribuídos DIFERENCIADAMENTE entre aqueles que mais (ou menos) trabalharam pelo Senhor aqui na terra. Na Bíblia temos a parábola do dinheiro investido (Mateus 25:14-30) que não me deixa mentir!
   Logo, podemos ter a certeza de que o belíssimo conceito utópico apresentado por John Lennon na terceira estrofe só pode ser relativo a um reino completamente diferente daquele que seria o de Deus, mas… de quem seria então esse mundo tão perfeito, pacífico, justo e agradável?
   A resposta está indicada no refrão…
   Refrão
   Como vimos, a premissa desta música é que a não existência de Deus implicaria em um “mundo melhor”, mas seu núcleo, o refrão, aponta ardilosa e não tão sutilmente para o que seria uma provável solução, basta analisar suas “inocentes” frases:
   “Você pode dizer que sou um sonhador”: esse papo de sonho é, na verdade, um argumento bem rasteiro que vem sendo utilizado no decorrer da história: é triste ver gente como uma tal “pastora” Ludmila usando umas calças de homem e cantando, junto com um padre, sobre improváveis “sonhos de Deus” (e, pior ainda, diversas categorias de unção!), numa tarde de domingo, em um programa manipulado por uma emissora que é declaradamente inimiga do evangelho genuíno (isso então justifica até que essa emissora seja parceira da Lagoinha!! Faz todo o sentido do mundo!)
   A verdade, meus queridos, é que Deus NÃO SONHA: ELE DETERMINA!!
   Não estou com isso querendo pregar que devamos ser meros elementos passivos no decorrer de nossa existência, mas que aprendamos, antes de mais nada, a reconhecer o que o Senhor determina (de acordo com sua multiforme graça) em nossas vidas e nos empenharmos em aceitar e cumprir tais desígnios:
   “O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos.” (Provérbios 16:9)
   “Os passos do homem são dirigidos pelo SENHOR; como, pois, entenderá o homem o seu caminho?” (Provérbios 20:24)
   Dar vazão a seus sonhos sem procurar verdadeiro respaldo bíblico é realizar as concupiscências, ou seja, andar em desacordo com a Palavra:
   “Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.” (Romanos 13:14)
   “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne (…) E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.” (Gálatas 5:16 e 24)
   Esta música é a prova de que qualquer sonho, por mais bem intencionado que pareça, pode ser uma forma diferenciada e direta de ir para o inferno levando muitos outros “bem intencionados” junto!
    Incluem-se aqui aqueles que “sonham” em “ser pastores”, “ser pastorAs” (pior ainda!!!), fundar uma igreja (mais uma empresa eclesiástica?!)… quantas vezes tudo isso não passa de pura realização do EGO e da vaidade?
   “Mas eu não sou o único”: aqui é o ponto onde aqueles que detestam as chamadas “teorias da conspiração” deveriam começar a se preocupar, pois o mais famoso dos Beatles está GARANTINDO que não é o único a “sonhar” desta forma!
   Espero que tenham percebido que ele faz muito mais que apenas sonhar: o simples fato de compor, produzir e divulgar esta música é a constatação de que este movimento está em plena atividade e, disfarçado de sonho, ganhou o mundo seduzindo e convertendo incautos de modo que, juntos, passem a “sonhar” exatamente da mesma forma!
   A outra possibilidade contida nessa afirmação é de que exista um movimento organizado de “sonhadores”, conspirando (obviamente em vão) contra Deus e a inexorabilidade do cumprimento de Seus planos! A frase seguinte apenas confirma essa suspeita…
   “Espero que um dia você se junte a nós”: Ora! Quem são esses “nós” aos quais ele está se referindo?
   Levando em conta todo o gigantesco processo industrial envolvido até que essa música fosse lançada (isso, relembro, em 1971!), temos então um grande e organizado exército envolvido na conversão de novos “sonhadores” e na realização desse “sonho”!
   Estariam estas pessoas surpreendendo ao Senhor Deus? Seria este um movimento imprevisto por Ele? Se formos pensar como o apóstata Ricardo Gondim (que já caiu do telhado há algum tempo…), Deus viveria sendo surpreendido pelos fatos que se sucedem, mas… acho que não é bem assim:
   “Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.” (Salmos 2:1-5)
   (Ah! Antes que apareça outra funcionária do MEC / obreira batista me acusando de não saber das coisas por ter escrito que “eu acho”, fique registrado que TENHO CERTEZA!!!)
   Ao contrário do que pregam alguns pastores e bispos, a passagem acima não está dizendo que após esta rebelião o Senhor irá confraternizar com esta humanidade e nem presenteá-la por isso com o estabelecimento de seu reino: após ZOMBAR dela, Ele lhes FALARÁ EM SUA IRA e os TURBARÁ EM SEU FUROR!!!
   O simples fato de se unir a este exército vai te tornar um derrotado por desistência, haja vista que esse alistamento exige uma declaração explícita de NÃO CRENÇA EM DEUS para que haja “paz na terra, portanto:
   “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Marcos 16:16)
   “Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada.” (Mateus 10:32-34)
   Chega a ser incrível a precisão com que gente como John Lennon é capaz de mencionar e contestar minuciosamente a Bíblia, ao passo em que muitos que se afirmam “cristãos” não sabem sequer manuseá-la corretamente…
   Grande “exército de gezuz” temos hoje em dia…
   “E o mundo será como um só”: Essa frase é a verdadeira cereja do bolo!!!
   Alguém ainda quer melhor afirmação sobre a Nova Ordem Mundial que essa?!
   Já falei sobre as consequências decorrentes do evento “Torre de Babel”, principalmente em uma postagem publicada acerca dos bancos Bradesco e Santander. Na época não encontrei nada que relacionasse o banco Itaú (Pedra Preta) a eles, mas hoje, diante dessa análise, encontrei o ponto em comum entre eles. Veja o vídeo abaixo:
   Lindo convite feito pelo Itaú, não?
   Quem acha que a música “Imagine” foi escolhida por acaso?
   Não deixem de ler a análise minuciosa desse comercial no “Apocalipse Total”, pois ele sempre consegue enxergar detalhes que, mesmo sendo explicados, muitas vezes demoro bastante até perceber…
   Conclusões
   Contra fatos não há argumentos, portanto:
   1. Se John Lennon compôs, produziu, cantou, publicou, divulgou… fez tudo o que fez em prol de “Imagine”, não podemos tomá-lo por inocente: ele é um elemento que (conscientemente ou não) atuou a favor de satanás e do estabelecimento do vindouro reino do anticristo.
   Tal comportamento implica que, muito provavelmente, sua obra inteira esteja permeada de profanidades. Eu até sei que está, mas por não ter realizado uma análise atenciosa como esta em suas outras obras, prefiro não afirmar…
   De qualquer forma, como cristão e usando como medida a Bíblia, tenho autoridade para julgá-lo (no mínimo) como “maldizente”:
   “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10)
   Essas palavras não são minhas, mas, diante delas, posso enunciar até uma sentença: cristãos genuínos devem se afastar das obras que produziu, sob o risco de incorrer em heresia.
   Outra coisa que incomoda (principalmente os que não creem em Deus e nem O conhecem) é a possibilidade de ter a quase certeza do destino tomado por sua alma, dada a falta de fundamentos que cercam a tal “lenda do último momento” assim como a rapidez e a imprevisibilidade que cercaram sua súbita morte: infelizmente um homicida já o enviou para seu destino final e, sem dúvida, esta também é uma atitude condenável conforme a Palavra de Deus:
   “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.” (Apocalipse 21:8)
   O julgamento de um cristão genuíno nunca implicará em apedrejamentos, crucificações… o máximo que pode ocorrer é uma redução de lucros.
   Isso é algo que o mundo nunca compreenderá…
   2. Como disse no início do texto, até me permito ouvir músicas seculares, mas fujo das profanas assim que as reconheço. Isso exige algo que as pessoas de nosso tempo não querem ter: trabalho mental!
   Muitos me escrevem perguntando que músicas / cantores / conjuntos eu recomendo…
   Ora bolas! As minhas preferências musicais não são as suas preferências musicais! Ouçam o que lhes agrada, mas sempre com a mente atenta, pronta para discernir!
   Vejam o meu caso: passei a vida inteira ouvindo “Imagine” de forma desatenta e agora tenho certeza de que não passa de um hino, senão ao ser humano, ao próprio satanás!
   Ainda por cima a melodia e a harmonia são lindíssimas, ao contrário da maior parte de todo o produto musical de nossos dias…
   Diante disso, compreendam o esforço que estou fazendo para tirar essa música da minha vida, da minha mente, de evitar cantá-la distraidamente… pode um cristão servir a dois senhores? Tenho a enfática certeza de que NÃO!!
   Portanto, queridos leitores, cuidem vocês mesmos do que estão ouvindo e não tentem responsabilizar outros por suas escolhas certas ou erradas. É claro que incentivo aos irmãos divulgarem quando descobrem absurdos como “Imagine”, analisada nesta postagem, mas, definitivamente, ninguém pode saber tudo, principalmente sem se dar ao trabalho de analisar…
   3. Ao contrário de alguns que dizem por aí (até nos estatutos de suas seitas) que “toda arte é inspirada por Deus”, posso afirmar conclusivamente, mesmo não gostando da forma que vai soar, que “Imagine”, pelos objetivos aos quais serve, é uma música do demônio.
   “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.” (Mateus 6:24)
   “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.”  (2 Coríntios 6:14-16)
   Deixo, por último, recomendações bíblicas:
   “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.” (Mateus 26:41)
   “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração.” (1 Pedro 4:7)

Related Posts with Thumbnails