4 de fev de 2010

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
DuvalierFlag[1]    Ex-padre católico, o então presidente do Haiti Jean Bertrand Aristide declarou, em abril de 2003, o vodu como religião oficial do Haiti. Com essa posição do governo, os casamentos realizados no vodu passaram a ser aceitos e considerados oficiais, tendo valor religioso, como ocorre com as demais religiões ao redor do mundo. Aristide acabou expulso do país por tropas francesas e norte-americanas em 29 de fevereiro de 2004, mas o vodu ficou.
   No entanto, a religião sofre fortes preconceitos dentro e fora do país, onde dois terços da população são de católicos. Muito acusam o vodu de ser uma crença*  primitiva e responsável pelo atraso social e até econômico do Haiti. Em meio à catástrofe humanitária vivida pelos conterrâneos, o cônsul do Haiti em São Paulo, por exemplo, afirmou que toda aquela tragédia era culpa de uma “maldição” feita “pelos africanos que moram lá”. Tentando associar a “maldição” à “macumba”, George Samuel Antoine quis dizer basicamente que o terremoto foi culpa do vodu. Ele ainda disse que a “desgraça de lá” estava sendo “boa pra gente aqui”. No dia seguinte, o cônsul pediu desculpas.
   Roseana Kipman, mulher do embaixador brasileiro no Haiti, Igor Kipman, vivenciou a veneração dos haitianos pelo vodu no dia do terremoto. Durante cinco horas subindo morro, passando por corpos, ela se deparou com milhares de pessoas rezando, cantando e queimando as vitimas. “Essa história de que eles estão queimando corpos porque são violentos, esse monte de coisa que estão falando lá no Brasil, não é nada disso. Eles aqui acreditam que quem morre sem uma parte do corpo vai voltar na próxima vida sem aquela parte. Por isso, eles queimam o corpo”, explicou Roseana, que professa o judaísmo, a um grupo de jornalistas brasileiros no Haiti.
   Roseana Kipman dá aulas de português no Haiti. Ela já se ambientou aos costumes de um povo que não costuma chorar e entrar em desespero em meio a um cenário catastrófico. “É um povo sobrevivente, que já passou e ainda passa por muitas privações. O índice de mortalidade infantil é muito alto. Por isso, ninguém pode ficar se apegando a uma criança que pode morrer”, destacou. “As pessoas comem, em média, um prato de comida dia sim, dia não. E os mais fortes são os primeiros a comer. As crianças ficam para o fim. Um homem forte pode salvar uma criança. Mas alimentar a criança que não vai poder salvar a vida de um adulto forte não faria o menor sentido, é a cruel lógica da sobrevivência.

   * “Primo” do candomblé e da umbanda, tão comuns no Brasil, o vodu haitiano veio com os escravos africanos e é baseado em elementos dos povos Ibo (no Congo) e Yoruba (da Nigéria). É uma crença claramente sincrética, já que une elementos das antigas práticas religiosas tribais da África — baseadas na presença de uma ampla gama de espíritos — com pinceladas do catolicismo romano. O vodu, paradoxalmente, tem características associadas com a modernidade, como a não discriminação de homossexuais. A orientação sexual ou identidade de gênero não são levadas em conta nos rituais. Há até templos (os “hounfos”) nos quais todos os líderes são gays ou lésbicas.

Categories:

3 comentários:

Postar um comentário

                              ATENÇÃO!

   Fico feliz por você estar desejando registrar um comentário, porém peço que (principalmente caso vá praticar qualquer tipo de retaliação), pense bem antes de fazê-lo:.

   1. A partir de 22/07/2011 restringi (no intuito de impedir mesmo) os comentários neste formato (arcaico e nativo do blogger), pois estão relacionados às postagens antigas: o assunto pode até ser atual e pertinente, mas definitivamente não está no centro das atenções do autor.

   2. Este formulário só aparece para permitir a leitura dos comentários anteriores... já leu para ver se sua dúvida não foi respondida? Tem certeza que sua pergunta é inédita e exclusiva? Se for, então pode me enviar um e-mail:
teophilonoturno@gmail.com

   3. Provavelmente o que você leu foi baseado na Bíblia ou em fatos, NÃO em opiniões pessoais (busque referências bíblicas!!!). Se você "caiu de pára-quedas" aqui não comece a metralhar sem conhecer o posicionamento do autor através de seus outros textos, pois comentários descabidos e sem fundamentação serão desconsiderados!

   4. Sem dúvida o texto não contém ofensas pessoais e muito menos palavras torpes (não escreva ofensas, palavrões, bobagens...).

   5. Muito provavelmente você vai encontrar sérias dificuldades para apagar seus comentários daqui caso algum dia venha a se arrepender de tê-los feito: meu trabalho é registrar fatos e, depois que você pressionar o botão enviar, suas próprias palavras poderão testemunhar contra você.

   Obrigado pela atenção.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts with Thumbnails