8 de out de 2009

A Lenda Do Último Momento

O TEXTO ABAIXO FOI ESCRITO SOB PERSPECTIVA ESTRITAMENTE BÍBLICA,
PARA O PÚBLICO QUE TEM NA BÍBLIA SUA REGRA DE FÉ E VIDA.

QUAISQUER OUTRAS OBRAS OU CITAÇÕES SERÃO APENAS CONSIDERADAS COMO "OBJETO A SER ANALISADO".
SE FOI EDIFICADO, COMPARTILHE!
EM QUAISQUER OUTRAS CONDIÇÕES: LEIA OBSERVAÇÕES NOS COMENTÁRIOS.
    “E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23:39-43)
   Sinceramente não sei se, com base nesta passagem ou na visão do mártir Estevão (Atos 7:55-56), cresci ouvindo falar que “no último momento da vida, todos têm uma chance de aceitar Jesus Cristo”…
   Será que isso tem algum respaldo bíblico para continuar sendo dito ou é apenas um subterfúgio para acalentar os corações daqueles que permanecem vivos, para que possam imaginar que a alma de seu ente querido encontrou lugar no paraíso?
   E, mesmo que tal fábula fosse verdadeira… estariam as pessoas prontas para aproveitar tamanha oportunidade de salvação?
   A primeira e incômoda questão que me ocorre em relação a este assunto é o fato de que esta “oportunidade” está fortemente vinculada à imagem romântica e clássica da “morte lenta” quando, dizem, se sente a aproximação da morte e relatam a ocorrência de uma série de visões fantásticas: anjos, túneis de luz… até o próprio Senhor Jesus Cristo podem aparecer para acompanhar a alma neste derradeiro momento!
   Porém a tecnologia e o avançar dos tempos têm criado situações totalmente incompatíveis com essa plácida imagem. Vejam os vídeos abaixo:
   Será que estas pessoas tiveram tempo para experimentar tal “momento de decisão” ou estaria o Senhor Deus tratando-as de forma desvantajosa? Teriam eles ouvido falar alguma vez do Senhor Jesus Cristo?
   O fato é que não podemos viver a vida inteira contando com esse “trunfo” de aceitar nesta provável última oportunidade, principalmente porque a Palavra de Deus apresenta um quadro de completa incapacidade de alguma mudança após a morte:
   “Assim como a nuvem se desfaz e passa, assim aquele que desce à sepultura nunca tornará a subir. Nunca mais tornará à sua casa, nem o seu lugar jamais o conhecerá.” (Jó 7:9-10)
   “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento.(...) Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.” (Eclesiastes 9:5 e 10)
   O tempo de tomar uma decisão se chama vida… e não estou me referindo a uma conversão psicológica! Não estou falando dessas conversões que ocorrem pela conveniência da oferta ou pelo puro medo da condenação eterna… essas onde se passa a crer que o preço da vida eterna é uma subserviência descerebrada a qualquer enganador que se diga representante de Gezuz.
   Dia desses, andando de ônibus, me deparei com alguém que falou uma frase que não ouvia a muito tempo:
   “O dízimo é sagrado! Não importa o que o pastor vai fazer com ele, temos que entregá-lo na casa do tesouro!!!”…
   Fé cega no “São Dízimo”!
   Fiz algo incomum: indiquei os estudos do Brian Anderson e da Lúcia Rodrigues e informei o número do meu telefone celular… pedi sinceramente que me telefonasse no caso de ter alguma refutação bíblica para o assunto. Estou, sinceramente, esperando.
   Como eu gostaria de ser refutado com sólida base bíblica! Fazem quase cinco anos que espero por isso e só ouço historinhas onde se tiram as referências do contexto e se exige um medo estúpido que contraria ainda mais as referências bíblicas à meditação, temor e racionalidade.
   O Senhor Deus definitivamente não nos criou para sermos estúpidos, senão não teria nos dado um cérebro… mas colocaria um intestino muito maior!
   Ser cristão não é seguir a maioria e nem viver com medo de choques ideológicos! Ser cristão não é abandonar todo e qualquer julgamento em nome de um tal “amor”… pelo contrário!!! Ser cristão é exortar àqueles que amamos baseados na reta justiça e tudo o que ocorrer fora disso estará promovendo a paz descrita em 1 Tessalonicenses 5:3, que é a mesma a qual o Senhor Jesus Cristo se refere em Mateus 10:34-39.
   Então, diante da possibilidade de injustiça que há nesse tal “último momento” (que ocorreria apenas para alguns e não para outros), prefiro sempre aplicar em minha vida a seguinte passagem:
   “E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,” (1 Pedro 1:17)
   Que, por sinal, é a mesma que Rick Warren magistralmente DETURPA em seu lixo literário pró-humanista “Uma Igreja com Propósitos”.
   Em suma: biblicamente flanado, o mais sensato é NÃO CONTAR com essa história de “oportunidade do último momento”, mas…
   Satanás é o inimigo de nossas almas e milita desde a criação do homem para arrastar consigo o maior número de pessoas que conseguir… e, sem dúvida alguma, joga sujo para atingir seus objetivos de uma forma ou de outra:
   Desde que a Igreja foi estatizada e religião se misturou com estado, as boas intenções sempre são a “força motriz” que vem movendo as instituições eclesiásticas. Afinal, era tão grande o número de pessoas sendo mortas pelos leões nas arenas que (de certo ponto de vista), PARA IMPEDIR AS MORTES, o cristianismo se tornou a “religião oficial”… desde que sofresse certas “adaptações”.
   De lá para cá as coisas foram desandando de tal forma que nem a reforma de Lutero conseguiu conter a irreversível contaminação do sagrado… e isso não é motivo de espanto pois se adequa às profecias bíblicas!
   Hoje temos incontáveis igreS.A.’s que se mantêm com base no misticismo de objetos e rituais onde a fé em Deus é redirecionada para coisas tão desnecessárias quanto subir montes, unção com diferentes tipos de óleo, cultos para agradar o público… um falso evangelho que é capaz de iludir os que não se esforçam para conhecer a Verdade e afastá-los, durante toda a sua vida, da verdadeira salvação!
   Sempre cheias de boa vontade, essas pessoas querem até “abrir os caminhos” dos novos convertidos para que possam melhorar suas vidas após a expulsão de seus demônios!
   E assim, à margem da Verdade e confiando cegamente em suas práticas piedosas, tais pessoas se convencem que estão sendo servos sinceros do Senhor Deus e passam a se orgulhar de tudo isso a ponto de confrontar a própria Palavra de Deus (se esta estiver em desacordo) com as crenças que obtiveram através de suas experiências pessoais!
   Imaginemos agora, no caso de que exista essa tal “oportunidade final”, alguma dessas pessoas passando por seus últimos momentos nesta terra. Depois de tantos atos proféticos, depois de tantas quedas e danças no espírito, depois de tanto dizimar… sem dúvida nutre uma expectativa de que o Senhor envie uma carruagem e um séquito de anjos para buscar sua alma para o lar eterno onde, espera, terá muitos galardões!
   Súbito, lhe surge a frente o Senhor Jesus Cristo em pessoa e faz uma única e simples questão:
   - Você me aceita?
   …
   - Hein? Mas eu não passei minha vida inteira profetizando em seu nome? Não converti centenas ao evangelho? Não expulsei tantos demônios? Como o Senhor vem me perguntar se eu Te aceito?!!
   A simples e única resposta poderia e deveria ser dada neste momento seria um singelo “sim”, mas o orgulho do ser humano muito provavelmente vai falar mais alto e, ao invés de se converter ao Senhor Jesus Cristo no último momento, aquela pessoa vai tentar converter-lO à todas as inutilidades em que creu durante toda a sua cega vida… e aí… aí temos a profética e triste passagem abaixo:
   “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” (Mateus 7:21-23)
   Mais um para fazer companhia a satanás no lago de fogo e enxofre…
   Falo aqui apenas da Palavra e sei que muitos ficarão desagrados, mas espero que pensem bem nesse assunto e mesmo que passem suas vidas inteiras com suas mentes cauterizadas e praticando besteiras que aparentam piedade, mas negam o poder de Deus… possam dizer apenas “sim” no último momento.
   Se é que haverá…
   O Senhor Deus nos proteja e abençoe com saúde e sabedoria para vivermos de acordo apenas com a Sua Palavra e não com as doutrinas deturpadas pelos homens de torpe ganância.
LINK CURTO PARA ESTA POSTAGEM
http://bit.ly/momentofinal

4 comentários:

Postar um comentário

                              ATENÇÃO!

   Fico feliz por você estar desejando registrar um comentário, porém peço que (principalmente caso vá praticar qualquer tipo de retaliação), pense bem antes de fazê-lo:.

   1. A partir de 22/07/2011 restringi (no intuito de impedir mesmo) os comentários neste formato (arcaico e nativo do blogger), pois estão relacionados às postagens antigas: o assunto pode até ser atual e pertinente, mas definitivamente não está no centro das atenções do autor.

   2. Este formulário só aparece para permitir a leitura dos comentários anteriores... já leu para ver se sua dúvida não foi respondida? Tem certeza que sua pergunta é inédita e exclusiva? Se for, então pode me enviar um e-mail:
teophilonoturno@gmail.com

   3. Provavelmente o que você leu foi baseado na Bíblia ou em fatos, NÃO em opiniões pessoais (busque referências bíblicas!!!). Se você "caiu de pára-quedas" aqui não comece a metralhar sem conhecer o posicionamento do autor através de seus outros textos, pois comentários descabidos e sem fundamentação serão desconsiderados!

   4. Sem dúvida o texto não contém ofensas pessoais e muito menos palavras torpes (não escreva ofensas, palavrões, bobagens...).

   5. Muito provavelmente você vai encontrar sérias dificuldades para apagar seus comentários daqui caso algum dia venha a se arrepender de tê-los feito: meu trabalho é registrar fatos e, depois que você pressionar o botão enviar, suas próprias palavras poderão testemunhar contra você.

   Obrigado pela atenção.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts with Thumbnails